As Escrituras e a vida cristã: uma relação intrínseca

Hoje vivemos no geração das mídias, onde a informação é muito acessível, às vezes até demais. Conteúdo na internet é o que não falta, seja bom ou ruim (geralmente mais ruim do que bom, é verdade). O cristão tem diante de si um leque de opções quando o assunto é conteúdo evangélico, por exemplo. Artigos, páginas, canais no YouTube, Podcasts, resenhas, palestras, sermões, tudo muito próximo. Isso sem falar nas editoras com suas excelentes publicações. Tudo isso é muito bom, mas tem o seu devido lugar na vida cristã. Aliás, é preciso dizer mais. Nada disso substitui as Escrituras. Sim, é preciso dizer. Não há conteúdo nas mídias que tome o lugar dos nossos devocionais diários, do debruçar contínuo sobre a Palavra de Deus, do orar, meditar e estudá-la de fato. É o testemunho interno do Espírito Santo mediante a intimidade com Sua Palavra e busca por Ele que realmente solidifica nossa espiritualidade. É Ele quem cuida para que nós não nos tornemos cristãos conteudistas: cheios de informação, mas vazios de vida cristã.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.