Até o Fim

“Correndo atrás de vozes no vento,

Sussurros entre as árvores,

Algo canta em meu ouvido:

…Eu estarei esperando por você lá…

Abaixo da tormenta escura,

Ando na chuva fria

Sem sentir seu toque frio e cortante.

Olho para o céu escuro para ver a luz,

Escondida ela às vezes pisca para mim

Uma leve luz…Pisca…

Aparece no entardecer como um olhar

Até parece…

…Que me chama para seguir até ela.

Ajoelhado em um mundo diferente

Minha mente tenta me iludir,

Dissuadir-me sobre seguir em frente,

Mas meu sonho ainda voa…

Por meus pensamentos ele me avisa,

Conta-me que ela ainda…

…Quem sabe me espera…

Nos sonhos

Ela me olha nos olhos,

Com sua presença me atinge,

A profundidade de seu olhar me leva.

De minha prisão me acorda,

Meu coração cicatrizado…

Minha labuta diária de imagens,

Cruzam meus olhos para serem esquecidas

Sussurram pelo vento frio:

….Vá até ela….

Cruze a tormenta até ela,

Ela ainda o irá curar,

….O salvará de seu mundo…

Em mim ela toca de longe o lugar certo,

A porta da mente,

Invade meu escape dos pensamentos à noite,

Anda ao meu lado no pesadelo.

Sua voz leve como uma brisa:

….Ainda posso te salvar…

Trovões me esperam,

Riem da minha caminhada,

Atingem meu peito,

Tentam arranhar a cicatriz…

Onde o que foi perdido retornou,

Voltou para seu lugar.

O vento bate para esfriar

Em quanto o corto andando de frente.

Apenas penso…

Repito para mim:

…Mas a tormenta não sabe sobre ela…

Lá ela me espera quem sabe não é?

Ela anda também

A luz que se esconde atrás da colina,

Continua me chamando no vento,

…Guia e me ajuda a continuar firme…

Do meu sonho ao meu destino,

Na caminhada até o fim

Olhando para o horizonte…

Até lá…

Ainda penso e pensarei:

…Não desistirei por ela…”

For Liehheil

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.