Espírito Santo e Doze não saem do zero pela semifinal

Foto: Bruno Lopes/ Sportvix

Por Marcos Barcelos

Espírito Santo e Doze se encontraram no Estádio Kleber Andrade em busca pela vantagem para o jogo de volta da semi do Capixabão 2017. Como foi dito no texto “Defesa x Velocidade”, as duas equipes faziam mais que um duelo pela classificação, mas também um confronto entre estilos de jogo distintos.

No entanto, diferentemente da análise feita pelo blog Do Um Ao Onze, o Doze começou o jogo levando perigo. Com quatro minutos, Marcone arriscou de fora da área, mas Alan Faria fez defesa tranquila. Aos 12, Chiquinho tentou marcar e o goleiro do Santão evitou o gol novamente. Mesmo assim, o primeiro tempo foi bem mais de transpiração que inspiração. As duas equipes pouco criaram e o 0 a 0 era um resultado justo.

Na volta do intervalo, foi o Espírito Santo que resolveu agir. Aos 10 minutos, Thiago Martinelli tentou aproveitar cruzamento de Vitinho, mas o goleiro Robson Bahia fez a defesa. Aos 14, foi a vez de Vitinho arriscar uma bomba de fora da área, obrigando o arqueiro do Doze a fazer ótima intervenção. Aos 29 minutos, o atacante novamente assustou o Doze. Ele cobrou falta direto na trave, quase tirando a vantagem do adversário.

O Doze teve a chance de marcar, em uma jogada frente a frente com o goleiro Alan Faria no fim da partida. Michael recebeu ótimo passe, mas no momento da conclusão, o zagueiro Leandro Morais salvou o Espírito Santo de ter uma desvantagem ainda maior.

No próximo sábado, dia 22 de abril, o Doze enfrenta o Santão, no Kleber Andrade, precisando de um empate para chegar à decisão do Capixabão 2017. Já o Espírito Santo precisa vencer de qualquer maneira se quiser estar na sua quinta final seguida.

Espírito Santo 0x0 Doze — Semifinal, Jogo de Ida Capixabão 2017

Estádio: Kleber Andrade, Cariacica-ES

Público: 230 pagantes

Renda: R$ 2.650,00

Espírito Santo: Alan Faria; João Vitor (Marcinho), Thiago Martinelli, Leandro Morais e Nicolas Giraldo; Maycon, Rodrigo César, João Paulo e Thiago do Amaral (Breno); Zé Gatinha (Matheus Costa) e Vitinho. Técnico: Leandro Niehues.

Doze: Robson Bahia; Cássio, Léo Breno, Joaquim e Paulo Vitor; Vitor, Lucas Balbino, Deivid (Vitinho) e Marcone; Chiquinho e Nilo (Michael). Técnico: Orlando da Hora.