Como eu consegui trabalhos remotos

Quando eu comecei a desenvolver meu conhecimento de programação se baseava em um curso técnico de mecatrônica no qual eu nunca fiz estágio e um livro de PHP emprestado.

Eventualmente eu consegui aos 15 anos meu primeiro emprego de escritório como desenvolvedor PHP, no qual minhas obrigações incluiam programar única e exclusivamente em Java. O emprego era horrível mas me ensinou a me virar para aprender algo.

Eu me considero um generalista e isso me permitiu atirar para todos os lados ao procurar vagas. No entanto qualquer especialista na área de desenvolvimento não vai se ver com opções faltando (talvez se ele programar cobol).

Avançando para alguns anos mais tarde eu havia acabado de me demitir da minha última empresa e estava cansado de trabalho de escritório, eu já possuía algumas linguagens, inglês fluente e 12 anos de experiência. Pesquisando na internet encontrei dois dos principais recursos que me ajudariam a achar vagas remotas : Sites de vagas sem assinatura e Sites de review de empresas.

Listo estes sites abaixo e falo um pouco sobre a experiência de entrar no trabalho remoto e o dia a dia de um trabalho remoto.

Sites de vagas:

we work remotely : Lista vagas remotas e permite contato direto com a empresa, onde consegui meu primeiro emprego remoto.

working nomads: Agrega vagas de diversos locais e permite o contato direto com as empresas.

angel.co: Diversas vagas para startups te mostra os salários e ofertas e é de graça para os desenvolvedores. Encontrei bastante empreendedor maluco querendo que eu fosse um co-founder (Trabalhe de graça pela promessa de quando der certo ganhar uma fatia da torta) mas algumas vagas honestas.

sourced: A sourced foi onde encontrei minhas mais recentes oportunidades, eles não são um site e sim uma consultoria que analisa o seu gitHub e te coloca em contato com as empresas. Basicamente é um headHunter trabalhando para você caso você entre no processo deles.

toptal: O toptal é uma empresa com um processo seletivo extremamente difícil e competitivo , e usa isso para seu marketing. Eu sugiro se preparar para ele e se possível checar no glassdoor algumas reviews e dar uma boa treinada em perguntas de entrevista.

Bairesdev: Parecido com o toptal e focado em staff augmentation. Pela parte do processo que eu vi foi muito mais simples (embora mais demorado) no entanto duas vagas já chegaram até mim (nas quais não dei continuidade).

Sites de reviews de empresas:

É vital não só você saber como o processo funciona mas como a empresa funciona, quanto os funcionários gostam dela, qual a faixa salarial e etc.

Glassdoor: Ele fornece dados sobre a empresa, reviews de entrevistas e médias salariais.

Payscale: Te dá uma idéia da faixa salarial para a área ou posição.

Sobre o processo:

O processo costuma ser bastante variado mas normalmente segue os mesmos passos. Eles analisam o currículo, mandam um teste online , fazem algumas entrevistas e as vezes desejam algo presencial.

Até agora ninguém me pediu TOFL, diploma ou qualquer comprovação além do meu gitHub, testes, entrevistas e portfolios.

Sobre testes online normalmente eles envolvem algum problema bastante difícil de ciência da computação ou otimização de algoritmos em sites como:

Eu recomento fortemente aprender sobre a empresa nas publicações oficiais (twitter, site corporativo e facebook) e também treinar alguns desafios de código antes de aceitar a entrevista, são sempre coisas que você não usa no dia-a-dia ou conceitos que é importante dar uma revisada.

Também se você quiser treinar e gamificar a experiência existe o excelente codewars.

Sobre o pagamento:

Receber moeda estrangeira no Brasil é sempre um problema atualmente eu uso a solução Payoneer que converte para mim (cobrando uma taxa) e deposita diretamente na minha conta bancária.

Na declaração da nota fiscal eu declaro que é uma empresa estrangeira e até agora parece estar tudo correto e legal nisso tudo.

E depois?Como é o dia-a-dia:

A primeira empresa remota que eu trabalhei tinha a proposta de fazer MVP’s para clientes do mundo inteiro e isso significava que eu tinha que me adaptar a diversos fuso horários a cada 2 meses. Atualmente estou com uma única empresa em um único fuso horário de forma que só me adapto a um.

Eu tento ficar ao menos 4 horas disponível no mesmo fuso horário da empresa e até agora não tive nenhuma requisição de mais tempo.

A comunicação é uma das partes mais importantes de qualquer trabalho seja remoto ou local. Ela é normalmente feita no slack(Serviço de chat que já se tornou querido de diversas empresas) ou emails com um skype ou zoom.us ocasional.

A prestação de contas normalmente é feita pelo gitHub mas algumas empresas me pediam para preencher alguma tabela de horas (que inclusive sou fortemente contra mas isso é outra história). Também já usei o trello ou algum Kanbam virtual.

De forma geral trabalhar remoto é bem gostoso e flexível, você ganha algumas horas de condução, uma qualidade de vida maior e um horário bastante flexível. Um problema comum é a falta de colegas de trabalho para aquela conversa técnica ou até mesmo de pessoas em geral, normalmente resolvo isso marcando um “coffe and code”, indo em meetups e penso em ir para um espaço de coworking.

Espero que as informações aqui sejam tão utéis para vocês quanto foram para mim e espero ver cada vez mais os desenvolvedores conseguindo trabalhos remotos que lhes deem mais flexibilidade, dinheiro e satisfação pessoal e empresarial.