E vamos viver

Nascemos com a “dívida” de conseguir um bom trabalho, que nos encha os bolsos, nos proporcione umas férias em algum paraíso e que nossos pais tenham orgulho de falar para seus amigos. Qualquer caminho longe disso é sinônimo de fracasso, para muitos. Sair dessa linha tênue é certeza de rebeldia, para muitos. Como se caráter e dignidade estivessem à venda e fossem medidos por cifrões.

A vida é muito maior que nosso dinheiro e, muito mais do que viver por ele, temos que viver por nós. Fazermos o que nos der na telha, desde que não prejudique outros, nos aventurarmos no que gostamos, esquecer um pouco da burocracia adulta e nos deixarmos viver ao lado das pessoas que nos fazem bem. Porque é como diz uma música do Rancore: “Faça tudo que quiser. Você não tem certeza, se vai cair. E um belo dia tudo acabará. E o que você vai guardar?”. Dinheiro não vai junto pro céu ou inferno. Mas nossa memória, nunca é apagada.

Like what you read? Give Eduardo Kalsing a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.