Não temos tempo a perder

Surpresas sempre vamos ter. Por bem, ou por mal. A gente até pode tentar fugir delas, mas elas sempre nos encontram. Mas é nessas horas que devemos jogar a nosso favor, e a próxima surpresa sermos nós mesmos. Nada melhor do que surpreender a si e botar o dedo no próprio rosto e dizer: “vai e faz”.

Na vida nós podemos escolher entre aceitar a tristeza ou surpreendê-la, mostrando que ela pode ficar ali, de cantinho, no escuro, deixando-a aparecer só de vez em quando. Perder tempo com tristeza já não é escolha. E nem opção.

E vamos em frente, seguindo o rumo que nós mesmos tentamos trilhar, porque, como dizia o meu eterno ídolo Renato Russo, “não temos tempo a perder”.