Criatividade, Cadáveres e Busca

Esses dias eu viajei e levei comigo umas coisas baixadas no notebook pra o caso de tédio extremo. Entre essas coisas estavam o filme Swiss Army Man e a série Search Party. Eu posso falar que essa viagem foi uma das coisas mais bizarras que aconteceu comigo no ano passado (Olá ano novo) e nem foi por causa do que rolou nela.

Criatividade em pleno 2017 é algo em falta no mercado. Filmes e séries iguais surgem aí todo ano e tá cada vez mais difícil achar alguma coisa diferente & bem feita. Aí que me surge Swiss Army Man, um filme sobre um náufrago que conhece um cadáver e vai o ressuscitando enquanto faz ele se apaixonar por uma foto no seu celular. Tudo aqui é bizarro, quase tudo aqui é novo e nada aqui é batido.

Os protagonistas do filme, Hank (Paul Dano) e Manny (Daniel Radcliff)

E na mesma safra de bizarrice (sem tanta inovação, mas ainda muito bom) me vem Search Party, uma série em que uma mulher desaparece e a amiga dela de faculdade começa a buscar por ela incansavelmente, chegando a fazer coisas extremas, como se essa busca fosse a única coisa de interessante na vida dela naquele momento.

A protagonista da série, Dory (Alia Shawkat)

Tanto o filme quanto a série são sobre a busca por algo novo em beira da desistência. Tanto Hank quanto Dory estão sem perspectivas na vida, um inclusive começa o filme prestes a se matar, e eles acham algo que podem dar sentido à vida deles, algo novo, uma aventura. E ambas as produções terminam (talvez isso seja spoiler mas nem é) com decepções para ambos os protagonistas, e que podem chegar nos espectadores.
 Isso já puxa pra o negocio da expectativa quebrada e tal, mas eu não tô muito afim de filosofar por aqui, só falar de um filminho e uma série ótimos. Meu Deus como Search Party é engraçado, legal e te deixa curioso afim cada episódio. E meu deus como Swiss Army Man é legal, engraçado e te deixa com esperanças a cada minuto. Os dois têm carisma, piadas ótimas e aquele sentimento ótimo a cada cena.

Ps.: Esse texto não tá muito bom pq foi escrito num consultório médico e eu não soube terminar ele em casa, aí ficou assim mesmo. Prometo melhorar da próximas vez!! J

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.