NCT U e a sincronização dos sonhos

Parte 3 — Manifestações oníricas

Esse post é a parte 3 de uma série que você encontra aqui: parte 1, parte 2

MV — The 7th Sense

Dois meses depois dos teasers, no dia 9 de abril foi finalmente lançado o primeiro MV do NCT U. Como dito no post anterior, o clipe é basicamente o Teaser #2 atualizado. Os meninos, salvo a troca de Hansol por Doyoung, continuam nos mesmos ambientes.

Vemos os meninos em um local que parece o palco principal do backstage do Teaser #2. Continua abandonado, mas agora vemos paredes de mármore e iluminações coloridas.

O clipe começa com uma cena dos cinco no que parece ser um hall principal. A floresta adorna o corredor em frente deles, nos remetendo ao cenário de Ten e aos sonhos da vida into the wild. É a única cena em que eles aparecem juntos nesse cenário, o que me faz pensar que não está na ordem cronológica, mas sim que é uma cena do final, onde eles já se livraram dos seus boxes e estão unidos no sonho.

O primeiro a cantar é Taeyong. Em seu aquário, estão as lâmpadas que vimos no teaser, e a iluminação azul juntamente com o cabelo branco criam uma atmosfera fria. Outra coisa que chama a atenção são os suspensórios que ele está usando: de longe, não conseguimos identificar de quem são as faces, mas numa cena do teaser individual podemos claramente ver que são ícones do cinema antigo*.

Audrey Hepburn, Marilyn Monroe, James Dean

No Teaser #2, Taeyong vestia uma jaqueta de couro e assim simbolizava sua entrada na celebridade que ele incorpora em seu debut. Aqui, ele se veste de estrelas, numa materialização direta de seu sonho.

O gelo também pode representar uma vontade de ser eternizado, congelado em seu tempo, como são as celebridades nos suspensórios. Mas antes de se eternizar, é preciso causar uma marca, queimar o mundo.

Um fato interessante é que Taeyong e Mark ajudaram na composição da letra (algo inédito pra um debut da SM):

In this cold world, I’m closing my eyes
Laying down in bed, covering my ears
Yesterday is today, today is yesterday
I’m only filled with late self-guilt

*Nota: O uso de imagens de celebridades foi repetido nessa apresentação ao vivo, onde ele está com uma jaqueta estampada com atores e atrizes de cinema, e Doyoung com um suéter da Marilyn Monroe. Já nessa aqui, quem usa os mesmos suspensórios é Jaehyun.

Seguindo a ordem do Teaser #2, Ten é o segundo a aparecer em seu box, novamente cercado pela estufa tropical. A atmosfera de uma floresta— escura e abafada — é retratada na letra, como um ambiente sufocante onde é difícil diferenciar a realidade do sonho.

It wraps around me, hate is on me
Each day repeats but it’s okay
I’m walking on top of a deep darkness
Look at what is real, that’s hidden over there

Jaehyun é o próximo a aparecer, sendo essa a única cena em seu box, que é totalmente de vidro. As piores prisões geralmente são aquelas que nós mesmos nos infligimos. A culpa e o desgosto formam muralhas transparentes, mas sólidas o suficiente para enclausurar alguém.

Hatred that will not go away and dreams that torture me
The clock laughs at me, it does not give a single error

Seguimos com Doyoung e seu box espelhado. Entre tantos reflexos, qual possivelmente pode ser o real? Entre tantas maneiras de se ver, como saber se não se está sonhando, ou vivendo o sonho de alguém? Analisando pela perspectiva de Doyoung substituindo Hansol, o box de espelhos nos faz imaginar: será que ele também se vê como uma substituição?

I’m a mess, I don’t even know myself,
my future is colored darkly
I’m struggling, coloring this night even blacker

O mundo da fama representa um constante olhar refletido não só em espelhos, mas em praticamente todo lugar. Não é à toa que um dos principais tabloides britânicos se chama The Mirror. Quando terceiros acompanham cada ação sua, é difícil separar-se da visão dos outros sobre você.

Quem são Choi Minho e Oh Sehun perto de Mark Lee melhor rapper da SM?

O último a aparecer é Mark, na melhor parte da música, em seu box de azulejos e sem uma das paredes. Como em um relicário, ele é a figura iluminada (coincidência ou não, ele está usando um terço). Essa imagem faz novamente um paralelo com a fama, onde celebridades são idolatradas tão ardentemente quanto figuras religiosas. Além disso, embora as paredes de Mark sejam mais sólidas e opacas que as dos outros, é ele quem possui a saída mais fácil, podendo simplesmente descer de seu altar quando sua consciência permitir. Na letra, ele descreve o sentimento de quem está em um limbo, sem ter certeza do que está acontecendo, e se é real ou não:

I’m still going somewhere
To an unknown place, to an unknown hall
I’m spending most of my time
In a place that’s uncomfortable even
after several nights, like an explorer
Uh, and that’s a long ass ride
Mindlessly going around until I close my eyes
I’m doubting this moment, between dreams and reality
I have something else to check,
just like you right now, uh

Essa narrativa é intercalada por closes individuais em preto e branco ou com dupla exposição de vários elementos, criando mais uma camada de interpretação. Embora mais de um membro apareça com determinados elementos, analisei de acordo com o que mais se encaixava com o conceito do box de cada um:

Jaehyun e a fumaça/neblina: Um elemento que sugere a realidade nublada e misteriosa dos sonhos. Um produto do subconsciente, material o suficiente para ser visto, mas não para ser tocado (cena do teaser individual).

Ten em preto e branco: Ao contrário da floresta, um ambiente geralmente colorido, vemos Ten em preto e branco e fora do box, significando que, de alguma forma, ele escapou de sua prisão/realizou seu sonho. A outra cena dele, com o fundo azul e estilhaços de vidro por cima, sugere também essa libertação.

Mark e a estrada: Como ele mesmo diz, “It’s a long ass ride” e a imagem noturna de uma estrada reflete essa exploração e inquietação sobre o que o espera mais adiante.

Taeyong e o fogo: O contrário do gelo que encontramos em seu cenário. Também pode ser sugerido pela quebra das lâmpadas, que contém luz = calor = fogo. Debutando, Taeyong dá os primeiros passos para deixar sua marca no mundo.

Doyoung e o white noise: Essa cena aparece só no teaser individual, e traduz em imagem o deslocamento que Doyoung sente. Ele está fora do ar. No clipe, ele aparece também com os estilhaços de vidro, simbolizando a quebra de seu próprio espelho.

A continuidade entre as cenas está presente, mas de forma muito mais sutil. Dá para perceber que cada um deles está em um cômodo de uma mesma casa, e fica sugerido que eles se encontram em algum momento, visto a cena inicial e as cenas de coreografia.

Como em um sonho lúcido, eles conseguem se enxergar e compreender o que acontece, mesmo que seja tudo maleável demais. A mensagem para abrir os olhos permanece. A verdade está sendo revelada, seja ela o acordar dos sonhos ou o próprio debut do grupo.

MV — Without You

No dia 10 de abril foi lançado o segundo MV do NCT U, composto somente pela vocal line: Jaehyun, Doyoung e Taeil (que não debutou em The 7th Sense). Na versão chinesa, tem o Kun cantando também. E o WinWin aparece, mas só no clipe. Sim, é confuso, mas é isso que a SM lançou pra hoje e tá nem aí se a gente entendeu ou não, né.

Sendo sincera, eu não tenho muito saco pra escutar essa música. Não acho ela ruim, mas não faz meu tipo. Portanto, analisar (também conhecido como: ver um milhão de vezes até fazer sentido) foi trabalhoso.

Em adição a isso, o OneHallyu tem teorias muito melhores do que eu poderia sequer imaginar. Seguindo essa linha, inclusive porque muitas das conclusões conversam com o que eu analisei, vou fazer só mais algumas observações.

Tudo no clipe sugere que eles são parte de um sonho lúcido.

Vemos incontáveis relógios, de todos os tipos. Relógios são um dos métodos de checar se você está em um sonho lúcido ou não, já que a parte do cérebro responsável pela identificação dos números não funciona enquanto dormimos e, por isso, os números podem aparecer borrados ou passando rápido demais (como acontece no clipe).

Os relógios também indicam, mais literalmente, a importância da passagem do tempo nessa narrativa, e como sonhos muitas vezes nos levam para situações que vivenciamos no passado como se fossem atuais. Embora eu não tenha encontrado uma ligação entre as horas mostradas e os eventos observados, é possível perceber que essas passagens simbolizam viagens no tempo, como vemos nas cenas:

Taeil entrando na janela após se lembrar de uma cena do seu passado
O trem/ônibus onde está WinWin e onde Taeil entra

Outro artifício usado para reconhecer um sonho lúcido é observar suas próprias mãos. Como o cérebro tem dificuldade de manter uma imagem estática sem o auxílio da visão, se elas aparecerem distorcidas, é certo que se trata de um sonho. No clipe, por sua vez, vemos várias cenas cujo foco são as mãos.

Jaehyun, na última foto, percebe que é tudo um sonho após olhar para suas mãos

Doyoung, por sua vez, parece ser o único que não se deu conta de que o que está vivendo não é real, dando continuação à teoria de que ele entrou como substituto de Hansol em The 7th Sense, e ainda está dessintonizado. Quando percebem do que se trata, Jaehyun e Taeil ficam apreensivos.

Mas por qual motivo? No clipe, há algumas cenas estranhas onde vemos um lugar que se parece com um laboratório. Nas teorias do OneHallyu, isso significaria que os meninos são experimentos de cientistas tentando reproduzir a sincronização dos sonhos.

Taeil e WinWin estão em outro plano, seja porque nasceram com esse poder ou porque “acordaram”, mas são os únicos que estão completamente conscientes e, por conta disso, viajam ao passado para tentar impedir esse experimento.

A cena final do clipe apresenta um EEG de ondas cerebrais, confirmando a hipótese da história ser um sonho. Porém, um vulto atravessa essa imagem e Without You deixa mais mistérios do que soluções. Só nos resta esperar pela bondade da SM em continuar a história. De qualquer forma, é sempre divertido buscar essas sincronizações.

❤ Funkeiros de Seoul ❤

Espero que tenham gostado dessa série e que os próximos lançamentos sejam tão inspirados quanto esses :)