Carta ao cuidado nos detalhes dos dias

Senhor António Dias,

Saiba desta forma que me fez o dia, e que fez dos dias em que acredito, uns dias maiores.

Saiba que, quando entrei na repartição, ia com disposição de jeans e casaco gasto, numa sexta-feira daquelas casuais de roupa e ânimo.

Mas o atendimento foi de olhos nos olhos, foi feito com ternura, teve tempo para as perguntas, teve o meu nome pronunciado durante o processo, teve paciência para os imprevistos e fechou-se com um aperto de mãos.

Teve tempo para eu lhe agradecer a amabilidade, para me contar que apesar dos 62 anos ainda espera mais 4 pela reforma, e para me mostrar que, nem por isso, o trabalho se faz com menos empenho e cuidado.

E isto tudo fez-me sair com disposição de passos firmes e costas mais direitas, numa sexta feira destas intensas e com possibilidades.

O senhor Antónios Dias não é desses de ler blogs e textos na internet. Mas os tantos Antónios, Joões, Sofias e Lauras podem ser. E, a cada um que se cruza constantemente nos dias, transformando sextas-feiras simples de casacos gastos, em caminhadas de costas mais erguidas, voa esta carta em formato digital.

Porque os dias são maiores quando o quotidiano se enche de interações assim.

Like what you read? Give Edite Amorim a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.