Rugby: muito mais que um esporte

Criado no século XIX, a modalidade tem ganhado cada vez mais espaço no cenário local

Jogador Isaac Lucas da equipe The Australian Youth Boys Sevens. Fonte: Getty Images

O Rugby foi criado oficialmente nos anos 1880, porém o esporte teve início nos anos 1820, quando o aluno William Webb Ellis da Rugby School, localizada na cidade de Rugby, Inglaterra, durante um jogo de football correu segurando a bola, infringindo a regra de pegá-la com as mãos e depois chutar. No ano de 1871, ocorreu a primeira disputa entre países, onde o time escocês venceu os ingleses.

A partir disso, a modalidade começou a ser praticada durante as aulas de educação física em escolas britânicas, onde cada uma determinava suas regras. Apenas em 1946 os alunos da Rugby School criaram a regulamentação oficial do esporte.

No Brasil, surgiu em 1891 com o Clube Brasileiro de Futebol Rugby, no Rio de Janeiro. Com o crescimento do número de jogadores o número de disputas e clubes cresceram na década de 20. Contudo, só no ano de 1972, foi criada a Associação Brasileira de Rugby, sendo transformada em 2010 na Confederação Brasileira de Rugby (CBRu).

Como jogar

Os times são formados por 7 jogadores por equipe, que tem como objetivo a marcação de pontos, que consiste em levar a bola até atrás da linha do gol do campo adversário, e tocar a bola no chão. Só é permitido passar a bola com as mãos para outros jogadores para os lados ou para trás. Para levar a bola para frente, os jogadores devem usar os pés. Cada time também tem mais 5 jogadores no banco, podendo utilizar apenas 3 durante a partida.

O campo tem 100 metros de comprimento por 70 metros de largura. Cada partida de rugby tem duração de 80 minutos, divididos em dois tempos de 40 minutos. As partidas podem acabar se estendendo por prorrogações e outros prolongamentos. A equipe vencedora é aquela que marcar mais pontos.

Estrutura do campo. Fonte: Worldwide

Rugby em Santa Maria

No coração do Rio Grande do Sul, há o time Universitário Rugby Santa Maria, que foi fundado em 2009, a partir da união de dois times da cidade, o Santa Maria Rugby Clube e o Fênix Rugby Clube. Desde o início da modalidade na cidade, houve interesse das mulheres em aprenderem e praticarem o esporte.

A equipe feminina do Universitário Rugby foi criada a partir do incentivo de uma ex-atleta do Charrua Rugby Clube, time de Porto Alegre, quando mudou-se para Santa Maria após ser aprovada na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Foram feitas divulgações e chamadas para os treinos, se consolidando a primeira equipe feminina do Universitário Rugby.

Time do Universitário Rugby Santa Maria Feminino durante o I Rugby Day. Fonte: acervo pessoal

O primeiro torneio disputado pela equipe foi em 2011, na cidade de Caxias do Sul (RS), onde enfrentaram o Charrua Rugby Clube e o San Diego Rugby Club. Atualmente, o time conta com 20 atletas que têm como objetivo de organizar e preparar o time para disputar campeonatos oficiais da Federação Gaúcha de Rugby (FGR) em 2018.

Vida de atleta

Francieli Fernandes, 25, participa do Universitário Rugby Santa Maria Feminino desde maio de 2015, e conheceu o time através do Facebook. A atleta conta que foi bem recebida desde o primeiro contato, e acredita que isso influencie na paixão que as jogadoras criam quando começam a praticar o esporte.

“O que eu mais gosto no esporte é que não existe um padrão para ser jogador de rugby. É um esporte que tem espaço pra todo mundo”, diz Fernandes. “Eu já pratiquei outros esportes em equipe, mas nunca senti o que sinto quando jogo rugby. Tudo que envolve o esporte me motiva a não parar”.

Universitário Rugby Santa Maria Feminino na concentração. Fonte: acervo pessoal

Entre as dificuldades encontradas pela equipe, Fernandes destaca que a equipe passa por um processo de reestruturação neste ano. Além disso, há ainda a questão organizacional e financeira, pois tudo é pago pelas atletas: viagens, inscrições em torneios e a organização do campo para o dia do jogo. Para diminuir os gastos, as jogadoras buscam meios de arrecadar dinheiro (como rifas e festas).

“Estamos numa fase de transição e mais do que nos outros meses, precisamos focar nesses objetivos atuais. Acredito que ainda temos alguns desafios para enfrentar pela frente, mas seguiremos buscando maneiras de superar e seguir sempre em frente”, conta Fernandes.

Time em campo no I Rugby Day. Fonte: Acervo pessoal

Sobre sua rotina, Fernandes conta que o time treina duas vezes por semana: nas terças-feiras, das 18:40 às 20 horas, e aos domingos, com início às 13h e término às 15h (às vezes indo até 16 horas), além de nos feriados. Nos outros dias, a atleta treina na academia Power Muscle, onde faz exercícios específicos de preparação para o rugby, sendo preparados pelo técnico Bryan Backes.

Dos momentos mais marcantes do time, a jogadora conta que em abril deste ano, fraturou um dos dedos da mão durante um treino para o primeiro Festival Formativo Feminino. Apesar disso, tentou voltar a treinar, mas ficou um mês com gesso no braço. Porém, o amor pelo esporte falou mais alto, o que levou a atleta a estar presente em todos os treinos do time, o que só aumentou sua vontade de continuar na equipe.

___________________________________________

Universitário Rugby Santa Maria Feminino

(55) 98160–2937

universitariorugbyfeminino@gmail.com

Treinos:

Centro de Eventos da UFSM

Terça-feira: 18:40 às 20 horas

Domingo: 13 horas às 16 horas

Créditos

Repórter: Gabriela Pagel

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.