A trajetória que percorremos pela vida.

Por Eduardo Lima.

Indubitavelmente, para nós, é sempre mais fácil continuar com nossas boas e velhas rotinas, fazendo tudo igual, sem perceber que já estamos acostumados aos afazeres diários, atividades e manias de uma vida estressante. Acordar cedo, trabalho, almoço, regresso ao lar, jantar, televisão e cama. Tudo igual, exceção feita aos domingos, quando dormimos mais, vamos à missa e assistimos à programação televisível.

Para Lao-Tsé, filósofo e alquimista chinês, as coisas não seriam bem assim. Numa das suas célebres frases, nos revela que “Uma jornada de mil milhas começa sempre com um simples passo”. Esse pensamento além de nos incentivar a percorrer novos caminhos, suprimindo o medo das incertezas para realizarmos algo inédito em nossas vidas, demonstra, também, que os maiores feitos tiveram como início módicos atos, e que a mudança somente é possível se modificarmos nossas próprias ações.

O mal da rotina é que quando percebemos já se passaram os dias, os meses e os anos; vem o casamento, nascem os filhos e, quando nos damos conta, já temos netos. Então, tudo que era possível antes, fica tarde para tentar ou mais laborioso para conseguir. Não temos a mesma disposição e tempo, pois a boa e velha rotina nos consumiu, de forma homeopática, ao longo de toda uma vida.

Rotina é bom? É claro! Caso contrário a vida seria um caos. A periculosidade está no poder nocivo e silencioso que advém dela, quando, camuflada em si, nos leva a realizar as mesmas atividades sem perceber. Passamos dias, meses e anos trabalhando da mesma forma, tendo os mesmos lazeres e dando os mesmos passos.

O imprescindível é compreender, de fato, a filosofia de Lao Tsé. Compreender que há sempre uma nova jornada para começar, não importando o momento que estejamos vivendo. Que sejam pequenos projetos ou longos percursos, o primordial é mudar sempre, adquirir novas ocupações e agregar bons hábitos à nossa vida.

Reinvente-se. Incorpore inéditas metas à sua vida — aprenda inglês, espanhol ou latim. Comece a caminhar, emagreça ou passeie. Abra um restaurante, uma livraria ou uma banca de revista. Aproveite melhor seu tempo de lazer e leia um bom livro. Estude informática, compre um computador e se atualize. Dedique-se ao tricô, caratê, origami, flauta, xadrez ou adote uma tartaruga. O importante é iniciar uma nova jornada sempre que fechamos um ciclo. De pés descalços, coração limpo e mente aberta, sem esquecer de que o essencial não é a chegada, mas sim, os caminhos que percorremos para cumprir a nossa trajetória.