Eu não morri. Ainda estou viva e infeliz

Ando sumida daqui porque resolvi ter uma renda extra através da escrita. Além de ganhar dinheiro, eu adoro o trabalho. Por enquanto, estou me dedicando 100% a esta tarefa até conseguir conciliar com o meu outro emprego e este humilde espaço que costumo vomitar as merdas de minha mente.

Em minha vida pouca coisa mudou.

Ainda continuo pensando em morte diariamente. Ainda continuo sem sexo, mas meu corpo está se acostumando a situação e estou me conformando com a ideia de que só irei transar se pagar. Ainda continuo com inveja de casais, ultimamente um monte de gente tá noivando no meu Facebook e eu me sinto uma merda por ser adulta e nunca ter namorado alguém. Ainda continuo me sentindo horrorosa e me comparando com Deus e o mundo. Ainda quero sair de casa e fugir por aí. Viver pra mim ainda é um tormento.

Porém, este novo trabalho tá me deixando motivada e em todo tempo livre, escrevo igual a uma louca. Vai no automático, começo a escrever sobre determinado assunto e paro apenas quando me corpo pede arrego. O lado bom disso tudo é que penso menos merda e quanto mais produzo, mais dinheiro eu ganho e com mais dinheiro posso sair de casa, me aventurar por aí e reclamar menos. Alias, ando tão atarefada que ando com pouco tempo para reclamações e isso é uma coisa boa porque não encho o meu saco e nem o saco dos outros.

Leio o Médium diariamente e acompanho vocês. Este lugar virou meu oásis. Enquanto eu desvio de textão mal escrito no Facebook, com clichês e pregação pra convertido, aqui só leio coisa boa e conheço ótimos escritores. Claro que tem muito textão de falso ativista enchendo o saco, mas eles ainda são minoria. Felizmente ou infelizmente, esta plataforma ainda não é tão reconhecida.

Espero reorganizar meu tempo para voltar a escrever aqui e usar de novo a literatura como terapia.

Até muito breve!