Perdas

Perdi a alegria. Perdi o deleite. Perdi o prazer. Perdi a satisfação. A amargura corre em minhas veias. A felicidade dos outros me irrita porque não sou feliz. Moro num lugar fodido, com a minha mãe e ganho uma miséria. Não consigo morar sozinha. Todos mudam e se mudam para lugares que eu queria estar. Estou paralisada, presa dentro de mim mesma. Tenho inveja. Tenho ódio. Tenho raiva. Lá no fundo desejo o mal dessa gente bem sucedida que joga na minha cara todos os dias o lixo que me tornei. Não me sinto culpada por ter estes pensamentos. Eu não sinto nada. Eu sou um nada.