Destruir mundos

Todo homem quando vai nascer destrói um mundo. Isso eu aprendi do existir e de Hesse. Já vi frases idiotas que dizem que “viver é mais do que existir”. Geralmente se utiliza tal afirmativa querendo dizer para aproveitar a vida. No entanto, diferentemente do que se pensa, existir não é só esse estar no mundo. Existir é se comprometer consigo e com a própria existência. É mais que viver a vida. É ser protagonista dela. É destruir mundos e se fazer nascer.

Estou em um novo nascimento. Tenho destruído coisas, imagens e ideias que construí ou recebi, muitas das quais me eram importantes. Encontro-me ainda mais só. Mais cético. Mais indefinível. Tenho saudades de pessoas que morreram. De amores que morreram. Do eu que morreu.

Cortei laços. Rompi relações. Me desfiz de grupos. Ri dos antigos deuses. E até mesmo ao meu Deus eu disse: “Você está morto!”. Matei Deus e morri. Hei de ressuscitar?

Não sei. Para nascer destruí meu mundo. Que um novo surja!