Dividindo perspectivas… Você sabe o que está fazendo!?

A mais de 2 anos do lançamento do Human Revolution a Square não espera e já lança seu novo título Deus Ex: Mankind Divied, trazendo novos elementos e tudo que um título triple A tem direito.

Ao menos deveria ser assim, mas caimos novamente na seguinte resolução, temos o mais do mesmo em uma nova embalagem vendido como o primal do momento.

O segredo da criatividade é saber como esconder as fontes.

Podemos dizer que Deus Ex é um dos mais clássicos do FPS Cyber Punk da nova geração (acho que a definição mais geek que conseguio fazer), bom sem pegar pesado, o jogo de fato traz um novo prisma para se trabalhar em cima, mas sem perder o clássico que foi visto em Human Revolution. Um ponto chave no desenvolvimento penso eu, afinal desta maneira você não se mantém distante do novo título, inclui conteúdo inédito e conserva o fundamental para uma boa imersão, a jogabilidade. Ok, a Blizzard faz isto a anos com World of Warcraft, Diablo, SC etc. O ponto é, onde está a criatividade dos desenvolvedores? Digo, este é o 2 título da saga e traz apenas um conjunto de upgrades e engine gráficas inovadoras, essencialmente não imerge o jogador em novo mundo, mas sim em uma nova história, Final Fantasy é um boa aposta para agradar novos jogadores, sempre com novas mecânicas e cenários fabulosos que explodem cores e criaturas estranhas, mas estamos falando de um Cyper Punk que possui vastas possibilidades de desenvolvimento, a história sim é fato chave neste estilo de jogo, mas as possibilidades exploradas pelo Mankind Dived foram em minha mais sincera opinião no máximo medíocres. Tenho que ser frio pois, R$ 200,00 pelo mesmo jogo com outro nome e gráficos relativamente melhores chega a ser nauseante.

Se comparmos o atual com o antigo percebos claramente uma evolução gráfica, o jogo foi redesenhado, mas apenas isto, toda a interação com elementos, puzzles se mantém estática, a IA é um dos pontos fortes já que está sim pode ser dita realmente nova, mas para cunho de comparação, vejamos um rápido gameplay do Human Revolution.

A dispariedade de 3 anos causou uma evolução drástica nos gráficos e isto pode ser sentido no Deus Ex: Mankind Dived mas estamos apenas fingindo que temos uma grande novidade, quando estamos na verdade comprando o mesmo jogo por um maior preço e com novos cenários, uma expansão não seria viável, afinal temos uma dispariedade gráfica, remodelamento de IA, o que não seria possível, mas chega a ser cômico não fosse tão trágico o preço pelo conteúdo.

Assim chegamos a seguinte conclusão, Mankind Dived é um jogo ruim? Não. Isto descarecteriza e desmerece as atualizações e implementações feitas no jogo? Não. Isto apenas reflete que temos um jogo antigo sobrevivendo a nova era de jogos, é um jogo válido para os fãs e entusiastas que não exploraram o mundo de Deus Ex. Mas para quem já conhece, o que se está perdendo mesmo é história e gráficos, o resto é mais do mesmo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.