Depressão (2016)

Eu sinto que não tenho mais controle sobre nada. Meu humor varia a todo momento, minha desconfiança está pior do que nunca, e meu senso de humor quando não está super elevado, tá mais embaixo que a sombra dos nossos pés.

Os problemas parecem grandes cordilheiras que não querem ser atravessadas, prontas pra te derrubar na primeira tentativa com qualquer obstáculo que seja. As ações mal resolvidas então, parecem causas perdidas esperando por milagres, que na minha cabeça nunca vão vir.

Eu já não sei mais com quem falo, e nem como falo. Meus amigos que sempre foram meu refúgio, as vezes parecem nem funcionar mais, é como se algo nem desse ouvido a eles.

Eu sinto uma vontade de chorar do nada, e me seguro. Pois sei que se começar, vai demorar a parar. Vai dar dor de cabeça, vai dar fome, vai dar saudade.

Eu não entendia essa vontade de tirar a própria vida vinda de uma pessoa que passava por depressão ou algo do tipo, mas é como dizem, a gente nunca entende até acontecer com a gente.

É como se fosse mais fácil, e realmente seria. É mais fácil não existir do que aguentar esse nó na garganta que dura o tempo todo. É mais fácil nem estar aqui, do que ter de lidar com todos os problemas do nosso dia a dia, que agora, parecem ter um peso de 5 elefantes. Dias de luta, dias de glória. Luta sim, glória.. a gente nem sabe quando vem. E a ansiedade que tanto a espera, piora tudo mais ainda.

Sinto que todo o apoio que me dão, não é suficiente. Por mais que falem, parece sempre tudo raso, como se qualquer palavra de carinho não ajudasse a melhorar nada. Ainda não inventaram um merthiolate pra esse tipo de ferida não? Que absurdo!

Sinto que exijo cada vez mais de quem está próximo de mim, e ao mesmo tempo que quero pedir, me mantenho calado. Não quero ser o chato depressivo, o dramático, que tem sede de atenção o tempo todo. O chato, grudento, que quer abraço o tempo todo. O problema é que só eu sinto o quanto esse abraço vale, o quanto SEU abraço vale.

E quando o nó aperta e dá a vontade de chorar no trabalho? (Isso tá acontecendo agora). Uma vergonha! O caminho até a porta pra correr pro banheiro, parece ter o percurso de três Sapucaís, afinal, no caminho as pessoas vão ver, vão perguntar. E aqui, não é um lugar que você vai querer falar, não é um lugar onde você vai querer estar, e muito menos com pessoas com as quais você vai querer falar.

Baladinhas musicais então… esquece! (Uma pena… tchau Frank Ocean, sai dessa playlist que ela não te pertence!). Sempre tem aquela que uma simples nota parece pegar direto no coração, a garganta arranha, faz aquele nó (Dificil!) e ai quando você percebe já cagou tudo. E se duvidar, seu dia nem rende mais, você já deu abertura pra algo que tenta trancar desde o primeiro segundo que você acorda, todos os dias.

Tem que vá ler esse texto e vai pensar “quanto drama”. Empatia, meus amigos, é isso que tá faltando na gente hoje, medimos e julgamos a dor do outro quando ela é APENAS do outro, e nós nem fazemos ideia de como é isso, afinal, nossas dores, prazeres e gostos, só nós entendemos.

Like what you read? Give Edgar Ignácio a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.