Reencanto

Hoje estou aqui para rir das tuas piadas, dividir uma trufa, te oferecer terra firme, amar o teu sorriso, errar no português, ouvir tuas histórias, amainar os teus medos, saber da sua família, sonhar sonhos bobos, recitar Mario Quintana, fingir amnésia, te ver embebedar, desobedecer à recusa, arrepiar-me, buscar canudos e guardanapos, relevar tuas chantagens, escutar a tua voz, garimpar coincidências, contar estrelas que sobram, atender a tuas neuras, conhecer a tua essência, relembrar os amigos, acreditar nas tuas mentiras, encorajar a tua arte, grudar na tua pele, falar dos mesmos planos, elogiar o seu vestido, valorizar as tuas crenças, concordar com o seu voto, lavar o teu cabelo, seguir os teus conselhos, entoar mantra de seu nome, tocar o seu nariz, te dar colo, retribuir os cafunés, descobrir a tua deusa, respeitar a sua angústia, confabular tuas intrigas, conversar abobrinhas, encabular enquanto falo, entender o teu trabalho, abrir a porta do carro, invadir o teu lado da cama, não saber o que dizer, viver tua presença, te olhar nos olhos, largar as armas, buscar a tua mão enquanto durmo, confessar uma saudade clandestina que só passa agora que te posso sentir, envolver e beijar, mais uma vez, pela primeira vez.

Like what you read? Give Edgar W. Santos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.