Por que eu comprei um despertador

Me perguntaram por que eu usava um despertador para me acordar, sendo que o smatphone também pode cumprir muito bem esse papel.

O que é verdade; o celular pode te acordar também.

No entanto, logo no despertar de um novo dia da sua vida, além de você ter sido acordado por um celular, o que é normal, você não percebeu que não deu tempo da sua mente respirar.

Existe um conexão perigosa e implícita nesse hábito.

Logo de manhã, no seu primeiro minuto, você já está conectado com vários ícones e atividades de pessoas nas suas redes sociais.

Acorda com uma poluição mental chamada notificações digitais.

Hoje, o meu celular dormi dentro de uma gaveta e eu só pego ele depois das 8h30 (pra não esquecer de levar pro trabalho).

Olho as notificações assim que chego no trabalho. Respondo as importantes, guardo as não importantes para responder em outro momento e sigo o dia.

Mas por que eu comprei um despertador?

Esse aparelhinho com alguns ponteiros e que quando a gente olha pra ele, consegue saber quanto tempo temos para realizar as ações do dia e se estamos atrasados para algum compromisso importante.

Comprar um relógio despertador foi uma das melhores mudanças do ano passado (2016), posso dizer.

Há pouco mais de 7 meses, adotei uma regra na minha vida: notificações de redes sociais, só depois das 9h da manhã. Costumo acordar as 6h.

O despertador foi a maneira que encontrei de não direcionar a minha mente, logo na parte da manhã, para a internet. Além de eu achar ele um objetivo simpático e ter combinado com meu criado, mais do que o celular.

“Ah, mas você não tem controle e não consegue deixar de olhar?”

Poucas pessoas têm, amigo.

Mas, “qual o motivo?”, você deve estar pensando…

Nenhum aparente. Não sou uma pessoa viciada em internet e até que tenho certo controle sobre isso.

Mas, percebi que muitos dos meus dias, ao acordar e pegar o smartphone para cancelar o despertador, acabava me deparando com as notificações que estavam ali.

Resolvi mudar o tipo de conexão.

A primeira conexão no dia que devemos contemplar é a com nós mesmos.

As piores tralhas da nossa vida não sãos as físicas, essas a gente joga fora e pronto. O destralhe mental é a parte mais desafiadora hoje em dia.

O primeiro pensamento do dia, como disse a Monja Coen, deve ser reservado para para não se pensar em nada.

Que sejam meros 10 minutinhos, já faz uma grande diferença para que você tenha um dia mais leve. Não vale o soneca do celular, você precisa estar acordado, rs.

A dica aqui é simples e você vai investir muito pouco tempo.

Ao acordar — com ou sem o despertador — , reserve os 10 (20?)primeiros minutos da manhã para prestar atenção na sua respiração.

Nos sons a sua volta, no clima.

E, claro, se puder, evite ser refém das notificações digitais durante o dia também. Mesmo durante o dia, você não é obrigado a responder ninguém imediatamente. Isso só alimenta a sua ansiedade, algo que, definitivamente, não é saudável.

Esse não é o papel de uma rede social.

Faça o teste. 
Compre um relógio.

Se não ver diferença, volte para o celular, pois isso aqui é apenas uma opinião minha e você tem todo direito de não concordar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.