E precisa ser assim?

Finalmente o semestre acabou.

Não é que eu espere 4 meses para chegar as férias, mas agora a vida baixa o BPM.

Com todas as notas apresentadas, me surpreendi com meu desempenho. Um semestre recheado com oito cadeiras, aulas de manhã e a noite, em uma faculdade com média 7, que não oferece recuperação, e minha pior nota foi 7,7 — de média minha grade ficou com 8,86.

Quando vi as notas falei para os amigos que não sabia como tinha conseguido tais médias. Na verdade, até sei como consegui. Abri mão de algumas coisas para isso. Não vejo alguns amigos, que moram inclusive na mesma cidade que eu, há algum tempo, por exemplo, e não lembro quando foi meu último domingo “de boas” em casa nesses últimos meses. Basicamente foi assim que alcancei tais médias: sacrificando meu tempo.

“- Ah, mas pra se formar é assim mesmo”.

MAS PRECISA SER ASSIM?

Além das oito cadeiras tem o trabalho, que já não é mais estágio… é, esse semestre foi puxado.

Sabe o que é mais paradoxal? Eu esperei o fim do semestre para poder estudar mais. Mas, estudar o que eu quero. Enquanto isso, fico pensando o que, de fato, aprendi. Desse amontoado de conteúdos o que será que passou pelo meu hipocampo e se alojou no córtex? Enfim, seguimos assim, estudando, trabalhando, estudando mais, trabalhando mais, à espera de uma ideia, uma impressão de sucesso que pode nunca chegar. Seguimos como um hamster, que corre,cada vez mais rápido, dentro de sua “rodinha” sem sair do lugar.

Agora, se me der licença, preciso estudar. Tchau.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Edson Haetinger’s story.