Nota sobre primeiras impressões

Ela é assim
A mistura de tudo que se quer
E de tudo que se teme

Ela pode assustar e afogentar de primeira
Acostumada a ser arisca, ela se esconde nos cantos
Caída pelas beiradas ela vive

Ela não se importa
Será que não?

Ela é assim
A junção do belo e do profano
Ela é a escuridão que se dissipa no simples toque do calor

Ela pode ser a que nos faz mudar de calçada quando encontramos na rua 
E não fazemos ideia de para onde vai 
De onde vem

Mas, ah!
Ela também
- e acima e tudo -
É quem se quer ter por perto do inicio a fim

E que fim?
Com ela não há fim
Com ela nada se acaba
Com ela tudo é infinito

Ela faz desejar 
Estar
Com ela

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.