O aprendizado é sempre dinâmico, sistêmico e multimodal

Eu procurei (interesse, objetivo) por um conjunto de plataformas para criar um novo projeto de gestão e aumentar minha produtividade e eficácia. Pesquisei (busca pessoal de conhecimento) na internet algumas soluções.

Fiz um filtro (seleção de informações relevantes) a partir de um critério de funcionamento consistente e de customização para minhas realizações. Assisti alguns vídeos sobre o tema (sala de aula invertida) e senti que precisava aprofundar com alguém mais experiente. Liguei para um colega que já conhecia muito sobre o assunto (mentor) e agendei uma reunião para saber mais sobre como iniciar esse projeto (Project Based Learning).

Meu amigo me mostrou, literalmente, um mundo novo. Muitas novas funcionalidades, um projeto singular de 3 plataformas integradas.

Eu, imerso naquele mundo líquido de novas e importantes informações (espaço/tempo de aprendizagem intensa — contexto capacitante), tentando colher tudo na memória. E no papel, com a caneta sem parar de se mover.

Eu aprendi muitas dicas conceituais e preciso ir um passo além: colocá-las em prática. Para aplicar algumas ferramentas, constatei que os movimentos sequenciais e precisos são altamente relevantes, senão nada funciona bem (aprendizado procedural).

Eu captei muitas informações de forma cognitiva, mas preciso criar um plano de ação e de aprendizagem para incorporar todo esse conhecimento. Praticar, praticar novamente, rever, pedir ajuda do meu colega mentor, consolidar o novo.

Alguns novos “caminhos” eu preciso de tempo e dedicação. Outros, eu modifiquei num piscar de olhos. Em ambos, estou constantemente explorando o novo, tomando susto com um monte de crenças minhas que não servem mais, arriscando novas “conexões sinápticas”, colocando em prática e recebendo feedback da realidade (aprendizagem autodirigida).

Quando emperro numa atividade, consulto o meu mentor ou amigos que sabem muito daquilo (comunidade de aprendizagem).

Eles, com sua sabedoria, não me oferecem nada além do que eu preciso para superar aquela etapa (just for you, just in time, just enough — Aprendizagem Singular).

Assim, vou caminhando e sentindo progresso, de múltiplas formas e com múltiplos recursos de aprendizagem, em direção ao meu objetivo. E claro, compartilhando meus novos conhecimentos com outros colegas.

  1. Preparei um curso gratuito para conhecer os novos conceitos e metodologias ativas de aprendizagem: http://entheusiasmos.eadbox.com/cursos/educacao-e-aprendizagem-do-futuro

2. Aqui, um vídeo par conhecer os Aprendizes do Futuro: https://www.youtube.com/watch?v=JaOD9T4ClZ8

Eduardo Carmello — Diretor da Entheusiasmos Consultoria em Talentos Humanos, consultor e conferencista entre os 5 mais reconhecidos do país, segundo o Top of Mind de RH. Autor dos livros Gestão da Singularidade: alta performance para equipes e líderes diferenciados (2013, Editora Gente), Resiliência: a transformação como ferramenta para construir empresas de valor (2008, Editora Gente) e Supere: a arte de lidar com as adversidades (2004, Editora Gente).