Ócio criativo, nosso cérebro e Pinball

Como adicionar o modo difuso gera maior satisfação?

Image for post
Image for post

ÓCIO CRIATIVO

Segundo o sociólogo Domenico de Masi, o ócio criativo possui um protagonismo nas relações entre trabalho e tempo livre na era pós-industrial.

Esse conceito é caracterizado pela a realização simultânea de 3 atividades: trabalhar, aprender e se divertir.

"Com trabalho, estudo e diversão, construiremos nossa identidade, não pelo que temos, mas através do que sabemos." (Domenico de Masi)

A proposta é: fornecer ao ser humano a liberdade para produção de ideias necessárias para o desenvolvimento da sociedade. Além de buscar um equilíbrio entre as relações profissionais e necessidades pessoais/emocionais. Claramente não tem nada a ver com a preguiça…

Image for post
Image for post

FASES MENTAIS

Aprendi algumas coisas no curso Learning How to Learn. Uma delas é que o raciocínio humano funciona a partir das conexões entre os neurônios. Conexões que ao somar informações sobre um mesmo assunto se consolidam em blocos.

E nós, seres pensantes, temos duas fases que nos levam a diferentes formas de conduzir esses pensamentos e podem levar à conclusões. Uma ótima analogia para isso é imaginar que o nosso cérebro funcione como um pinball.

1. Fase Focada

Vamos imaginar uma fase em que todos os "obstáculos" tem grande proximidade um com o outro. Beleza, lançamos uma pensamento em formato de bolinha, que segue o padrão abaixo.

Image for post
Image for post

Percebem o quanto a bolinha fica presa entre os obstáculos muito próximos? Isso retrar o seu cérebro FOCADO naquele bloco de aspectos específicos do seu pensamento, de maneira isolada.

Deste modo, você adquire grande criticidade para detalhes. Mas ao mesmo tempo fica míope pelos seus moldes mentais e conhecimentos prévios.

2. Fase Difusa

Agora, os obstáculos ganharam bastante espaço entre si. Logicamente, o nosso pensamento bolinha pode seguir um fluxo de maior amplitude certo?

Image for post
Image for post

O exemplo ao lado mostra o seu cérebro de maneira DIFUSA entre diferentes blocos de informações para um pensamento.

Essa fase permite uma visão holística da situação com novas conexões e insights. Mas em contrapartida você se torna desatento para detalhes.

Essas duas formas funcionam como duas faces de uma mesma moeda, o pensamento. São contraditórias, tanto nas vantagens e desvantagens mas ao mesmo tempo fundamentais para elaborar ideias, soluções complexas e para o seu aprendizado.

(Link do curso)

Image for post
Image for post

Misturando TUDO

Beleza, agora que vocês já tiveram essa pílula de conhecimento vamos dar uma viajada das boas.

Você deve estar se perguntando: Beleza, o ócio criativo parece fundamental para todos que trabalham com ideias… Mas como eu consigo aprender e me divertir enquanto trabalho?

O pulo do gato

Vamos utilizar dos conhecimentos em T: unir dois ou mais conhecimentos (parece familiar?) construíndo um conhecimento interrelacionado que permite um upgrade na qualidade se seus conhecimentos gerais.

Um administrador que é apaixonado por cachorros. E ele decide fazer um curso de banho e tosa especializado para o seu bichinho. Um dia, tem a brilhante ideia de montar um curso de gestão para donos de petshop com práticas sustentáveis de gestão para um tratamento de qualidade com diferentes animais.

O exemplo parece simples, mas representa a ideia de construir novos blocos do seu interesse e relacioná-los com sua área dominante, lhe dando maior flexibilidade. Além disso, favorece a satisfação com o processo criativo vinculado às suas escolhas profissionais e pessoais.

Image for post
Image for post
Matriz da Satisfação

A moral

Precisamos usar mais do nosso modo difuso para realizar novas conexões entre os conhecimentos que já possuímos. E a partir disso, são construídos os conhecimentos em T.

Podendo assim somar o nosso trabalho com estudos que REALMENTE nos interessam, gerando assim contentamento ou diversão. Atingindo a "alegria" da intersecção entre o que você se importa, o que você é bom e o que te paga.

Image for post
Image for post

Reflitam…

Temos na humanidade vários exemplos de mentes brilhantes que realizaram grandes feitos ao enxergar uma relações equilibrada entre trabalho, aprendizado.

"Eu não tenho nenhum talento especial. Sou apenas apaixonadamente curioso." (Albert Einstein)

Image for post
Image for post

E seguem meus experimentos com o Medium….

E não vou negar, o processo está sensacional! Então conto muito com o feedback de vocês, críticas, ideias, sugestões para os próximos e coisas a melhorar. E se você gostou de verdade, pode curtir, compartilhar e/ou me seguir no Medium para ir acompanhando meus próximos textos.

em busca do próximo insight

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store