A modinha do feminismo.
Kamilla Barizon
352

A acusação de “modinha” é que nem o discurso da “ditadura gay”: as pessoas acham que essa entidade mágica chamada DIREITOS é um cabo de guerra, e a mentalidade de “quanto mais o ‘outro’ grupo tiver, menos eu vou ter” impera.

Desmerecer conquistas alheias é a tática mais simples de executar que existe, principalmente porque a transmissão se dá numa velocidade muito alta. Depois que o primeiro fala, abre espaço pra todos os coitadinhos dos marginalizados cheios de privilégios de nascença se expressarem também.

É uma pena que a liberdade de expressão seja confundida com “eu falo o que eu quiser e foda-se quem não concordar”.

Like what you read? Give Eduardo Friedman a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.