Feliciano, o Brasil não é um Estado cristão e conservador.

Foto tirada do Tumblr Machistinhas do ENEM

Feliciano, o Enen, digo, Enem, tem apenas um compromisso: medir os conhecimentos de alunos do Ensino Nédio, digo, Médio, em diversas áreas do conhecimento. Com a nota final, eles tentam se inscrever na(s) faculdade(s) que desejam a fim de começar o ensino superior. Resumindo: é uma prova que pesa muito.

O processo formativo de qualquer pessoa parte dos âmbitos social e acadêmico. Adolescentes, no geral, não têm uma bagagem acadêmica muito grande ainda, o que é normal, então a formação social pesa muito mais. No início da vida, nossos pais e nossos iguais são nossas maiores referências, e o nosso erro é estacionar nosso carro aí e achar que está tudo OK.

Falando em carro… Lembra quando um homem doou o carro da esposa para sua filha dirigir quando fizesse 18 anos? Então, sabe por que a sua filha pode dirigir? Em parte é graças a “opinião pessoal” da Simone de Beauvoir e de todas que pensavam e pensam igual a ela. Amém, irmãos!

Sabe por que a sua filha pode ter uma vida digna? Sabe por que sua filha pode escolher um namorado ou marido? Sabe por que a sua filha pode fazer o que quiser na vida adulta? Sabe por que você não pode vender a sua filha como escrava, como consta em Êxodo 21:7? (Olha ali no fim do parágrafo anterior. A resposta tá ali.)

Isso é só um dos problemas da sua opinião. Sinto dizer que você não acertaria essa questão na prova. O texto não tem nada a ver com sexualidade nem com o movimento LGBT, queer nem nada assim. A Simone estava simplesmente falando do papel social da mulher e de como ele é construído. Poxa, Marquinho.

Outro grande problema é você achar que o Brasil é um Estado cristão e conservador. Sim, a maioria da população adota essa visão. Mas o Brasil é laico. É por isso que tem igrejas, sinagogas, terreiros e tudo mais. É por isso que você pode professar a sua fé sem medo de represálias. Isso a Simone não disse, não. Está na Constituição de 1988 mesmo, no art. 19. É um dos primeiros. Dá pra encontrar fácil. Fica um pouco depois do art. 5º, aquele que diz que todos são iguais perante a lei.

Lembrou? É que eu sei que você sempre esquece esse quando inventa de falar de cura gay, de criticar a luta feminista, de dar declarações racistas. É o art. 5º. Não esquece.

E tem mais: você reclamar de “infiltrados” mostrando “garras fétidas” e investindo contra a educação? Sério? Vindo de você, só pode ser piada.

A luta do Brasil precisa começar no âmbito acadêmico. Quando tivermos uma ideologia de verdade — formada por filósofos, cientistas políticos, economistas, etc., não por demagogos e populistas, como todos eles são — , vamos ter uma democracia de verdade. Nossa república é recente. Nossa democracia é recém-nascida. Dá tempo.

Eu não quero um país de merda. Você também não deveria querer.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.