Feliciano, o Brasil não é um Estado cristão e conservador.

Foto tirada do Tumblr Machistinhas do ENEM

Feliciano, o Enen, digo, Enem, tem apenas um compromisso: medir os conhecimentos de alunos do Ensino Nédio, digo, Médio, em diversas áreas do conhecimento. Com a nota final, eles tentam se inscrever na(s) faculdade(s) que desejam a fim de começar o ensino superior. Resumindo: é uma prova que pesa muito.

O processo formativo de qualquer pessoa parte dos âmbitos social e acadêmico. Adolescentes, no geral, não têm uma bagagem acadêmica muito grande ainda, o que é normal, então a formação social pesa muito mais. No início da vida, nossos pais e nossos iguais são nossas maiores referências, e o nosso erro é estacionar nosso carro aí e achar que está tudo OK.

Falando em carro… Lembra quando um homem doou o carro da esposa para sua filha dirigir quando fizesse 18 anos? Então, sabe por que a sua filha pode dirigir? Em parte é graças a “opinião pessoal” da Simone de Beauvoir e de todas que pensavam e pensam igual a ela. Amém, irmãos!

Sabe por que a sua filha pode ter uma vida digna? Sabe por que sua filha pode escolher um namorado ou marido? Sabe por que a sua filha pode fazer o que quiser na vida adulta? Sabe por que você não pode vender a sua filha como escrava, como consta em Êxodo 21:7? (Olha ali no fim do parágrafo anterior. A resposta tá ali.)

Isso é só um dos problemas da sua opinião. Sinto dizer que você não acertaria essa questão na prova. O texto não tem nada a ver com sexualidade nem com o movimento LGBT, queer nem nada assim. A Simone estava simplesmente falando do papel social da mulher e de como ele é construído. Poxa, Marquinho.

Outro grande problema é você achar que o Brasil é um Estado cristão e conservador. Sim, a maioria da população adota essa visão. Mas o Brasil é laico. É por isso que tem igrejas, sinagogas, terreiros e tudo mais. É por isso que você pode professar a sua fé sem medo de represálias. Isso a Simone não disse, não. Está na Constituição de 1988 mesmo, no art. 19. É um dos primeiros. Dá pra encontrar fácil. Fica um pouco depois do art. 5º, aquele que diz que todos são iguais perante a lei.

Lembrou? É que eu sei que você sempre esquece esse quando inventa de falar de cura gay, de criticar a luta feminista, de dar declarações racistas. É o art. 5º. Não esquece.

E tem mais: você reclamar de “infiltrados” mostrando “garras fétidas” e investindo contra a educação? Sério? Vindo de você, só pode ser piada.

A luta do Brasil precisa começar no âmbito acadêmico. Quando tivermos uma ideologia de verdade — formada por filósofos, cientistas políticos, economistas, etc., não por demagogos e populistas, como todos eles são — , vamos ter uma democracia de verdade. Nossa república é recente. Nossa democracia é recém-nascida. Dá tempo.

Eu não quero um país de merda. Você também não deveria querer.