Que conselho você daria para jovens que também querem abrir um negócio e estão apenas começando?

Recentemente fui perguntado sobre qual conselho daria a quem quer começar a carreira como empreendedor. Como essa é uma pergunta frequente resolvi resumir nos pontos abaixo.

1. Descubra o real motivo pelo qual você está empreendendo.

Esse é a dica mais importante, na minha opinião, e se aplica não só a empresas de tecnologia, mas a qualquer setor. Gerir o próprio negócio pode parecer extremamente atraente: você vai ser ‘dono’ e receber todo o glamour associado, vai ganhar muito dinheiro, não vai ter chefe, não tem risco de ser demitido, e de quebra vai trabalhar quando quiser.

Infelizmente isso não é exatamente verdade, você pode até alcançar alguns desses objetivos, mas certamente não terá todos ao mesmo tempo. Por isso acredito que esses não sejam os melhores motivos pelos quais se decide empreender, é obvio que sempre serão desejados.

A verdade é que o empreendedor tem que lidar com muitas coisas chatas como leis, tributos, funcionários (se você acha que ter chefe é ruim, o inverso também é verdadeiro), riscos e estresses. Afinal, no final do mês a responsabilidade é toda sua.

2. Dito isso, por que empreender?

Porque você gosta de se sentir desafiado, gosta de apreender e não tem medo de se arriscar. Empreender não é ter uma bandinha de rock.

É importante entender isso muito bem, pois o caminho é bastante tortuoso e subestimar os riscos envolvidos enquanto se superestima o retorno esperado é algo bastante comum. Por isso, ter o motivo pelo qual você está enfrentando essa jornada bastante claro ajuda, e muito.

Lembre-se: habilidade de empreender não é um dom, e sim o resultado de um trabalho árduo. Para se ter sucesso é necessário atitude, resiliência, humildade, curiosidade, comprometimento e persistência pois nada acontece da noite para o dia. Você provavelmente vai se frustar muito mais do que imagina.

3. Tenho uma ideia inovadora, e aí?

Descubra se ela é de fato inovadora e se vale a pena ir atrás dela. Modelos de negócio que são grandes geradores de caixa tendem a dar menos dor de cabeça.

  • Pesquise o mercado: provavelmente já existe alguém fazendo isso (ou algo bem similar) e entenda as alavancas de valor de cada modelo de negócio;
  • Teste a ideia: mostre para 100 pessoas e veja o que elas acham, não tenha medo de dividir a sua ideia pois ninguém pode replicar o que está na sua cabeça, que você vê para a empresa no futuro e sua rede de contatos ao mesmo tempo. Ao final da pesquisa você terá insights valioso de como melhorar e executar seu projeto;
  • Monte uma estrutura de modelo de negócios, Canvas ou ferramentas similares; você não precisa saber quanto dinheiro o negócio vai gerar daqui a 5 anos, mas entender o que é necessário para sua ideia parar de pé e custos associados é imprescindível
  • Monte um time que vai te ajudar a fazer essa ideia virar realidade, ajuste os incentivos e motivações. Mais vale ter 10% de 1.000 que 100% de 100.
  • Saiba diferenciar os casos isolados de sucesso (ou aparente sucesso) dos ideias e estratégias que de fato deram certo: não da para garantir que tal fórmula dê certo ou não, mas pode-se sim, diminuir os riscos da empreitada.

4. Não está preparado para começar?

Não tem problema, possivelmente o caminho mais comum (e menos divulgado) para se empreender é o de trabalhar para ganhar experiência (e as vezes conforto financeiro) e depois empreender. A mídia sempre divulga os casos dos empreendedores prodígios, mas a maioria das empresas não foram criadas dessa maneira.

Além disso, a maioria das pessoas são perfeitamente felizes trabalhando em empregos e seguindo carreira em empresas!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.