#Coimbra170 Dia 011

Quinta, 22/09/16

O dia começou ensolarado do lado de fora e bem nublado dentro do meu quarto.

Não sei dizer exatamente o motivo, mas acordei meio pra baixo, resolvi montar a grade mais ou menos, e fiquei procrastinando no computador. O vazio aumentou e quando meus pais me ligaram pude conversar e desabafar sobre os “problemas”. Por fim, depois de conversar com eles fui pra rua.

Decidi dar uma volta no parque antes de comprar o barbeador, fiquei dando umas voltas só apreciando as árvores, o rio e até o Sol, este, em breve vai ser figura difícil.

Trouxe meu barbeador do Brasil, não dei conta que ele é 110V. Gênio.

Gênio, mesmo, pelo menos não precisei colocar na tomada pra lembrar. Pois bem, fui pra rua pra comprar um barbeador, tinha visto no site do Jumbo, o hipermercado, por 15,20€. No caminho do Jumbo passei por uma loja chinesa e bang! Eles tinham um muito similar por apenas: 7,50€, comprei.

Na volta passei no Pingo Doce, comprei papel toalha. Papel toalha faz muita falta. Comprei bifes de frango pra almoçar também, e ah, o mais importante: sal, orégano e salsa. Agora acho que o almoço vai ter algum sabor, afinal.

Aproveitei e também comprei o de sempre, uns pãezinhos, e abusei; Milka de Oreo de 300g por 2€: não resisti. Comprei também um pote de Nutella genérica do Pingo Doce por 2€ também. O dia foi de ostentação.

Chegando em casa os garotos me chamaram pra sair. Confesso que fico um pouco sem paciência pra eles. São infantis mesmo, sabe?

Não sabem conversar, só gritam, xingam, são muito barulhentos, acho isso um porre. Quando cheguei em casa tinha um papel escrito “atum” na porta do meu quarto e eles só se referiam a mim como “atum”. Não dei trela, mas puta que o pariu né, sério?

De qualquer forma eles são a “única” forma de me enturmar, por isso não os destrato nem faço a convivência ser mais complicada. Relevo as coisas que dão pra serem relevadas.

Tomei uma ducha e fomos para a Praça, chegando lá estava tendo o praxe, que é o trote European version. Muito mais tranquilo que o do Brasil. Primeiro mundo até nisso.

Lá conheci a Rafaela e o Leandro, acabamos papeando nós 3, quando vi já estávamos em uma apresentação de dois músicos no jardim da faculdade, largamos os outros sem nem reparar. (Não me arrependo) Leandro foi pra casa com a namorada, Rafaela me arrastou pro Mandarim, uma boate/bar daqui, fomos eu, ela e uma amiga, depois chegaram mais amigos dela.

Acabei ficando lá até as 2, estava com sono, mas foi legal, bem legal, tomei umas cervejas lá fora e uma lá dentro, gasto total da noite: 3 cervejas, 4,50€.

A balada deles é bem peculiar, as pessoas entram e largam os casacos, ficam de camiseta dentro dos clubes, e dançam musicas latinas, rap, reggae ton, principalmente. Ah, fumam também, fumam muito.

Aqui a maioria dos lugares não se paga pra entrar, só pra consumir, isso é bem legal, fica a dica, Teatro Odisséia.

Troquei contato com a Rafaela porque ela disse que em breve uns amigos vem a Coimbra e ela vai levar eles em todos os pontos turísticos, falou pra eu ir com eles, achei muito gentil e disse que iria sem titubear.

Hoje o dia foi assim, começou frio aqui dentro com o Sol enorme lá fora. Terminou com um frio lá fora e com reggae ton aqui dentro.