A Vida em Ciclos!

O Brasil é feito de ciclos. Busque seu caminho, atinja seus objetivos, independente de crises ou momentos de crescimento e riqueza.

Este foi depoimento que ouvi de uma senhora na tarde de hoje durante uma descontraída conversa.

Ela me disse esta frase ao contar que seu pai, já falecido, costumava a guardar um jornal de 1954.

Certa vez, por volta do ano 2000, ele a chamou e comparou a capa do jornal daquele dia com o que tinha guardado. Mudando apenas os personagens, os assuntos econômicos, políticos e de corrupção guardavam importantes semelhanças. Diante desta repetição, achou por bem dar o conselho que transcrevi acima.

Viver uma crise costuma ser muito desesperador, especialmente quando se perde padrão e qualidade de vida. Planos são adiados, sonhos são colocados um pouco de lado e são necessários esforços adicionais para manter a forma de viver pré-crise.

Bom, pelo menos esta é a descrição usual quando alguém nos pede para descrever nossa visão sobre os momentos de crise.

Porém já ouvimos por diversas vezes que os momentos de crise são também momentos de oportunidades. A mim parece que foi esta a intenção do pai ao chamar a filha para mostrar-lhe o jornal.

Sendo este um país de ciclos, faz todo o sentido ficar atento nos momentos de crise para capturar as oportunidades que se apresentam, estando preparado para colher os frutos nos períodos de pujança.

Por outro lado, o conselho do pai serve de advertência para os momentos em que tudo vai bem, pois é necessário estar preparado para a possível volta da crise. É comum ver exemplos de esbanjamento e descontrole nos momentos profícuos, acreditando que a crise não voltará mais. Contudo, não custa lembrar, este é um país de ciclos e o período de baixa pode bater à nossa porta de novo.

A obviedade deste comportamento cíclico, infelizmente não é suficiente para que, de maneira estruturada, as crises sejam evitadas, o que impede que tenhamos um crescimento mais consistentes.

Amanhã é segunda-feira. Com crise ou sem crise, caminhamos para um próximo ciclo. O que nos resta é estarmos prontos e dispostos a seguir o conselho daquele senhor que, já em 1954, sabia que nem tudo é permanente e que nós devemos buscar sempre o protagonismo de nossas vidas.

Mais textos em www.dudapedrini.com