O risco de ser massa de manobra!

A enxurrada de informações que recebemos diariamente supera de longe a nossa capacidade de assimila-las. Sem foco, fica difícil separar o que vale à pena ocupar nosso cérebro daquilo que só ocupa espaço sem nada contribuir.

De forma consciente ou instintiva, passamos a escolher nossas fontes de informação na busca de limitar o número de informações recebidas. Desta forma, é normal que busquemos nos informar com um ou dois sites de nossa preferência, assistimos a um ou dois canais de televisão.

O risco da escolha das fontes de informação está no fato de nos prendermos a aqueles veículos que falam algo que está em linha com o nosso pensamento, sem nos desafiar a pensar diferente sobre o mesmo assunto. Como as fontes de informação dificilmente deixam explícitos os seus vieses, cabe ao leitor descobrir nas entrelinhas a linha adotada pelo veículo.

Exemplificando: quem lê somente fontes de informação da esquerda, vai achar que Lula é um santo e que tudo isso que acontece no país é resultado de uma armação, uma perseguição a um projeto político que visa uma país mais justos. Quem lê aqueles mais à direita, vão achar que toda a corrupção deste país nasceu no governo do PT e que antes disso éramos governados por seres iluminados que levavam este país ao progresso.

Exageros à parte, é por aí que as coisas se encaminham.

Pois bem, e qual seria então o motivo de eu escrever sobre isso? A resposta mais correta é: sugerir que as pessoas se atentem aos riscos de se tornarem massa de manobra.

Quem informa, seja qual for o meio, busca de alguma maneira influenciar o receptor da informação. Ao fazer isso, procura direcionar a pessoa impactada a concordar com seu raciocínio e direciona-la a pensar e agir de acordo com os seus interesses. É aí que mora o risco de se tornar massa de manobra.

Quando alguém alcança um grande número de seguidores, certamente consegue ser um influenciador na vida deles, com impactos efetivos nas suas decisões. É só ver o número de anunciantes que veiculam seus anúncios em veículos de grande expressão.

Desta forma, tenho buscado em minha vida diversificar minhas fontes de informação e, principalmente, procurar refletir sobre as informações que estou recebendo. Trata-se de um exercício bastante desafiador, que exige esforço e queima bastante fosfato. Posso garantir que estou ainda longe do que considero ideal.

De qualquer maneira, espero que este texto ajude a despertar este interesse no que agora o leem. Discordar dele pode ser um belo começo.

Mais textos em www.dudapedrini.com