Querer.

Eu só queria um minuto para poder olhar nos teus olhos e dizer o quanto eu sinto falta do teu olhar no meu, me encarando desse jeito felino, com olhos como duas garras me penetrando até o fundo da alma.

Eu só queria uma palavra que dissesse que eu ainda lembro exatamente do peso do teu corpo sobre o meu enquanto teus lábios passeiam no meu pescoço e me arrepio inteiro.

Eu só queria um gesto que te fizesse aparecer na minha cama, se enrolar no meu lençol, entrelaçar teus cabelos no travesseiro enquanto nossos corpos descansam nus, ofegantes e o nosso suor evaporasse, deixando no quarto nosso cheiro.

Eu só queria uma maneira de te ter inteira. Completa. Sem limitações. Sem ‘ses’ e ‘senões’. Sem arrodeios.

Só ter.

Like what you read? Give Eduardo Porto a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.