Casa

É um espaço vazio. É uma moldura. Uma vista para a rua e a partir da rua para todos os sons e todas as imagens. Há um carro que vira a esquina e um vendedor que grita uma oferta, há uma velha na calçada da direita e um velho na calçada da esquerda. Eles já se viram uma vez, mas nunca vão se encontrar de novo. Há paralelas entre todas as vielas e paralelas entre todas as avenidas, há longas retas perpendiculares que se cruzam e formam, é claro, cruzamentos. Há muita coisa para ver, as crianças voltando da escola, a feira do bairro duas ruas abaixo. Há muita coisa, o cheiro dos pastéis de carne que se espalha no espaço entre as árvores e os táxis, o sabor de cada um dos pães ridiculamente caros que se vende nesse lugar. Quando você fecha os olhos, é acometido pelo desespero de não saber mais onde está. Você quer ir para casa, mas o que você sabe sobre casas? É tanta coisa. O que dá pra saber?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.