Desabafos não-binários: 1

hoje eu sai com uma blusa larga e sem sutiã. e eu já sabia o resultado disso, sou teimoso, é verdade. 
cada pessoa que passava na rua era um sinal e que eu estava exposto. eu me encolhia. mesmo quando não tinha ninguém me olhando eu sentia e era quase como se queimasse na pele. 
(as vezes nem sei porque me sujeito)
mesmo sabendo que talvez isso termine mal, eu me desafio por ter muito medo da dependência. 
meu top precisa mesmo ser aposentado. qualquer coisa acima de uma ou duas horas já começa a comprimir violentamente meu abdomem e parece só mais uma lembrança de tudo que não está no seu devido lugar. 
tenho tido muitos pesadelos e sonhos esquisitos. obviamente todos eles começam ou terminam nesse assunto e nos detalhes que o rodeiam. 
a garota do binder disse que realizou a compra e eu achei três pessoas dispostas a receber por mim em ipatinga caso eu esteja lá quando for entregar. eu não quero ficar ~tão~ animado porque, bem, pode simplesmente dar errado, acontece. 
mas é
eu estava de novo falando com mojo sobre como tenho medo de um dia ser dependente/escravo de acessórios pra me fazer ficar confortável
tenho medo de um dia não me sentir eu sem eles e talvez esteja tudo bem nisso mas talvez não
tenho muito medo de muita coisa, aparentemente.
ontem a ansiedade tomou conta de mim por horas e eu que devia focar num trabalho estava simplesmente de enfeite do lado da minha dupla. bloqueava e desbloqueava o celular sem motivo nenhum ou ficava apressando suas contas e atrapalhando seu raciocínio. um peso, no caso. doeu meu peito por horas e eu tive (ahá) medo. eu desejei muito forte ser outra pessoa e não eu. 
eu escrevo muito pra página e procuro ser muito honesto em tudo que eu falo então ontem eu também falei de como ando zoneado e não consigo parar de pensar um segundo. qualquer coisa me lembra e me paralisa.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.