Tempo o texto não tem, nem casa

Ele flana por sobre o chão
Que vela os cadáveres das ideias mortas

Ele se passa agora aqui
Aliás, ele sequer passa

Mantém-se suspenso
Em um impreciso ponto
Entre a verve e o perfeito