O Ano Novo dos sonhos tem jeito de dia a dia

É 31 de dezembro. Falta pouco para 2016. Você está onde? Eu estou em meu quarto, cercada por meus livros, tentando fazer um projeto de pesquisa para o mestrado dos meus sonhos. Ele vai acontecer em 2016. Você está com quem ama? Ama a vida que tem? É capaz de encarar o ano novo de peito aberto e torná-lo mais do que uma festa de algumas horas?

Já parou para pensar que a festa de passagem às vezes reflete pouco a vida real? Seria lindo se nos vestíssemos todos os dias como para a virada do ano, com a mesma vontade de acontecer, de sermos vistos e de sermos parte de algo. Imagina se nos desejássemos tantas coisas boas a cada meia-noite dos dias comuns? Passar o Ano Novo em casa está me ensinando uma grande lição: o Ano Novo dos sonhos tem jeito de dia a dia.

É 31 de dezembro e logo mais, à noite, não vou estar vestida de branco ou com qualquer outra cor simbólica. Resolvi depositar minhas economias não em um vestido lindo ou ajudando os amigos a fazer a ceia. Resolvi depositar o pouco que tenho e todas as vibrações da passagem no dia a dia. Não é de forma alguma desprezo pelas festas. Menos ainda uma tentativa de minar a alegria de quem investiu muito para viver hoje uma noite inesquecível. É apenas outro jeito de olhar.

Esta lição, a de que o Ano Novo dos sonhos tem jeito de dia a dia, não está sendo dura. Estou tão movida pela paixão de um ideal! Se você não tem um ideal para apostar em 2016, desafio que nestas últimas horas vasculhe em seu coração e encontre algo que faça seus olhos brilharem. Se por um acaso você não vai estar em um lugar diferente durante a passagem e esta noite lhe parecer comum, reflita sobre esta perspectiva. Para que uma lista de promessas de Ano Novo seja cumprida, você precisa amar o seu dia a dia.

Logo mais, meus amigos estarão lindos, postando fotos nas redes sociais em lugares deslumbrantes do mundo. Não estarei com nenhum deles porque escolhi economizar. O dinheiro que investirei em meu mestrado retornará com um mundo de possibilidades de ser quem eu sempre sonhei. E tudo tem um preço. O efêmero me pediu licença para se realizar em outro lugar este ano. Se estou me sentindo sozinha? Não. Pelo menos não penso que esta noite vai durar mais do que uma noite.

Essa é outra verdade! Um grande sonho, o que precisa ser vivido no dia a dia, exige sacrifícios de noites. Muitas vezes de noites importantes como as de Réveillon. Outras noites, talvez, de sábados quentes, quando a vida, pulsante e ainda jovem, pede a rua e experiências com outros pessoas. Mas o Ano Novo dos sonhos pode ter o cheiro do seu quarto, que é só seu. Sim, às vezes não tem como barganhar e ter tudo. E esteja você onde estiver, acredite: a matemática é infalível.

Em 2016, você terá 8.760 horas para fazer tudo acontecer. O tempo e a morte são, talvez, as duas coisas mais democráticas. Esta noite, provavelmente, você viverá de 8 a 10 horas de pura adrenalina. Faça com que se tornem o combustível do dia a dia. Sim, a vida que você deve amar. As horas contam a seu favor.

Odeie menos segundas e ame mais as pessoas que te tiram do lugar comum. Não precisa desejar coisas grandiosas, o sucesso que precisa da validação do outro para ser considerado sucesso. Só você é capaz de saber o que é bom para você.

O que importa, de tudo, é que 2016 seja o ano dos seus sonhos e que você ame o seu dia a dia. Seus olhos merecem brilhar mais do que uma noite.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Eliana de Castro’s story.