Deixando o Rio de Janeiro… uma viagem “inesquecível”.

A vida seguia sua rotina. A mãe de Eliaquim se dividia entre os afazeres domésticos e a criação dos filhos. Para cuidar de seus pequenos, ela contava bastante com a ajuda de sua filha Elza, apelidada de “moreninha”, o pai Francelino a chamava de “atinha”.

Com quatro anos de idade, Eliaquim observava a família alvoraçada, arrumando todos os pertences em malas e sacos. Sem entender muito bem, participava de tudo. O pai havia corajosamente decidido que deixariam a. Fazenda do Sr. Fulgêncio Cuculo pertinho da cidadezinha de Itaperuna no Rio de Janeiro, pois havia traçado um novo destino para a família: Arapongas, no Paraná.

Primeiro tomaram o trem em Itaperuna com destino ao Distrito Federal – Rio de Janeiro.

Parados ali na Estação Central do Brasil , a espera do trem com destino a Arapongas no Paraná, Ernestina e Francelino se desdobravam para cuidar da criançada empolgadíssima com a mudança. Tudo que tinham estava ali, seus filhos, sua bagagem e um pouco de dinheiro. As crianças não se importavam com nada, se deliciavam entre sanduíches feitos com pão com mortadela, macarrão e muita bagunça. Não demorou muito para que o balanço do trem causasse seu efeito. Como se tivessem combinado, todos estavam com náuseas e enjoos, colocavam suas cabeças para fora da janela do trem para tomarem um pouco ar, numa vã tentativa de não vomitarem. Em instantes, a alegria virou choro e a maioria deles começou a vomitar. Foi uma cena memorável, engraçada e que causava nojo. Passsado o triste episódio, depois de alguns momentos de silêncio e o cochilo de alguns, tão logo o mal estar passou, a galerinha recuperou o fôlego e a brincadeira recomeçou.

Depois de muitas horas de viagem, a paisagem mudou e agora o que se via era uma terra avermelhada. O pai tinha contado que eles iriam morar no sítio dos Tios: Carmindo e Bonifácio, que ficava na Água do Jacanã, onde não ficaram muito tempo, porque logo se mudaram para perto de Apucarana num lugar que era puro mato pertinho do Lagoão… a próxima parada: Mandaguari!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Eliaquim G Queiroz’s story.