Tchau! Espero que leia minhas cartas

Hoje escrevo como forma de despedida. Talvez, a despedida correta que já deveria ter acontecido, mas que sofreu um súbito rasgo nas minhas páginas. Estou indo embora e espero que eu consiga deixar para trás tudo o que eu vivi aqui. Que eu leve apenas as boas lembranças, mas não as esperanças que cativei dentro de mim por tanto tempo. Saiba que lembro cada gesto, cada palavra, cada momento. Tudo que se refere à nós ainda vive presente em mim e será assim.

Deixo sobre sua mesa um envelope com todos os textos, os quais você foi minha inspiração. Alguns foram baseados em nós. Outros foram projeções do que eu queria que tivesse sido. Outros foram os meus ressentimentos tomando conta e me culpando por não ser o motivo da sua felicidade. Mas, enfim, estão aí. E apesar de tudo me indicar que eu não deveria ter feito isso, afinal, onde está o meu amor próprio? Eu preciso dizer mais uma vez: eu sinto muito, eu amei você.

Infelizmente, eu preciso sempre tentar mostrar que eu sinto, porque é isso que me faz sentido. Porque é isso que me faz existir. Mesmo que em anos de atraso, como foi no seu caso, mas eu preciso sempre dizer. Porque se não dissesse, não seria eu. E se dissesse no tempo certo, também não. Infelizmente, eu sou assim. E eu não consigo me enxergar de outra forma, porque quando eu tento, eu travo.

Mas eu quero que você saiba que eu jamais deveria ter deixado você naquela rua com um acordo de “vamos ser amigos”. Eu te impulsionei a isso. Mas eu nunca quis ser só sua amiga. No primeiro fim de semana separados, eu me recordo que reuni a galera para tentar me reconciliar, mas você não apareceu. Eu poderia ter conhecido outra pessoa, mas eu não queria ninguém. Tudo o que passava na minha cabeça era sair correndo e falar pra você tudo o que eu sentia, mas não foi assim.

Anos se passaram e no dia que era pra ser o mais feliz da minha vida, foi também um momento nostálgico e de conclusões. Eu, sempre atrasada na minha própria vida. Eu, sempre tentando consertar meus erros do passado. Quando te abracei, eu simplesmente senti novamente o que me ligava a você. Ainda hoje, me lembro daquela sensação de estar ali, com meu coração encostado no seu coração. E naquele momento, eu senti que não era só eu. Hoje, se você perguntar pra qualquer um dos nossos amigos que estavam presentes no momento e depois, eles vão confirmar como eu passei a semana toda gritando aos “quatro ventos” que eu gostava mesmo era de você e que eu queria muito ter mais uma chance. E se eu a tivesse, essa seria a vez que eu faria tudo certo. Pena que o destino sempre me castigando pelas escolhas feitas anos atrás, não me daria esse voto de confiança.

Agora estou indo embora. Quero começar de novo. Não te prometo não pensar mais em você. Com certeza, você ainda estará em muitos dos meus personagens. Ainda estará no meu livro de romance e drama. Ainda estará no meu coração. Estando longe, não quer dizer que eu não vou saber de você, mas farei o possível pra não perguntar. Não por você. Por mim.

Bem, gostaria de dizer…. bem, acho que eu já disse tudo. Tudo e nada ao mesmo tempo. Mas eu só queria saber de você. Eu nunca soube o que realmente, tudo foi pra você. Significou alguma coisa? Talvez, essa resposta me mataria ainda mais. Mas depois de morrer algumas vezes, eu teria uma nova chance pra mim.

Hoje eu sei dos teus olhos: são azuis. Eu os observo de longe, cada vez que estamos no mesmo ambiente. Eu fico feliz quando eu sinto que você está feliz. Eu me prendo à cadeira e mexo no celular por não saber o que fazer e pensar que não tenho o direito de puxar assunto. E que se acaso, eu o fizesse, você não me recepcionaria bem.

Ao ler todos os textos, quero que você saiba apenas que eu realmente senti. Que eu acho você um cara sensacional. Que agradeço por ter conhecido uma pessoa igual a você. Nem todos têm essa sorte na vida. Mas que eu não quero mais uma chance. Guardei esse sentimento por tanto tempo. Achava que ele estava afogado nas tantas mudanças que ocorreram por todos esses anos, mas revirando o mínimo que seja, ele sempre me toma por inteira. E a esperança de um dia estarmos frente-a-frente conversando sobre nós, não pode continuar me acompanhando, porque ela se torna uma ilusão. Nenhuma ilusão vem para o bem.

Estou indo embora. Deixo você aqui. Deixo você no passado, na paixão da menina que ainda sonhava com o jornalismo. Que sonhava com o cara com mil e uma qualidades, mas só depois, percebeu que você preenchia todos os requisitos.

O tempo passou e fomos trilhando caminhos diferentes. Meu coração continua intacto, mas, talvez, sejamos apenas eu e ele, numa luta que não irá nos trazer muitas conquistas. Talvez, nesse caminho, eu olhei tanto para trás, e esqueci que também, as surpresas se escondem nos lados, na frente, nas transversais. Chegou a hora!

Mesmo estando longe, você fez parte de todas as minhas histórias e as vidas que passaram por mim. Mesmo longe, todas souberam que, sim, “você foi o grande amor da minha vida”.

Tchau, L. espero que leia as minhas cartas.
Com carinho, G.
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.