O que aprendi depois de 31 dias tomando banho gelado de manhã

1. Você não ri enquanto está tomando banho

Uma das minhas resoluções de ano novo foi tomar banho gelado durante 31 dias de manhã e medir os resultados. A razão disso é que eu precisava fazer algo que me tirasse totalmente do conforto, algo que me chacoalhasse, pra mostrar pra mim mesmo que este ano seria diferente. Se eu conseguisse passar dessa "prova" as outras resoluções seriam fáceis e também por que teoricamento é algo fácil de se fazer, considerando que eu já tomo banho e que meu chuveiro tem um modo gelado.

Eu sempre tomo banho de manhã como uma das primeiras coisas que faço quando acordo. Tomar banho já estava dentro da minha rotina então eu não precisaria mudar muito ela para me adequar. A maioria das pessoas têm pavor, porém tomar banho gelado tem uma série de vantagens psicológicas e fisiológicas, então por que não tentar, não é mesmo?

Confesso que comecei essa resolução de forma um tanto quanto necessária. Comecei antes do ano novo, dia 28 de Dezembro de 2016 para ser mais exato, eu estava passando o ano novo na praia com alguns amigos. Lá, a temperatura estava acima dos 30 graus Celsius, simplesmente não tinha como não tomar banho que não fosse gelado e, considerando que a água acabou e tínhamos que economizar o máximo, eu não via a hora de tomar banho gelado, era o ápice do dia lá. Quando voltei de viagem, eu resolvi continuar, e tornar isso a minha resolução: Passar o mês de Janeiro tomando banhos gelados de manhã. Não é necessário dizer que quando voltei para a minha cidade, Sorocaba — apesar de quente — , não fazia tanto calor. Costuma, na verdade, ter uma brisa fria de manhã.

Apesar disso eu consegui completar a resolução e na verdade eu nem percebi quando acabou. Hoje eu vou falar um pouco de como foi o processo e, principalmente, as lições que aprendi durante ele.

1. Tendemos a imaginar as coisas exageradamente pior do que realmente são

Essa não é algo novo para ninguém, afinal sempre quando alguém te diz: "Preciso falar com você depois", você já começa a pensar nas piores coisas que você fez desde que tinha 6 anos de idade. Tendemos sempre a pensar no pior, isso não é necessariamente ruim, é até uma das coisa que manteve nossos ancestrais vivos. O problema é que isso as vezes nos paraliza. O pior momento de um banho gelado é, sem dúvida alguma, o segundo antes de abrir a válvula do chuveiro. É quando parece que existe uma voz interna gritando para que você não faça aquilo, é a mesma sensação que antecede um perigo iminente, algo que realmente vá te machucar e você não pode evitar. O coração acelera, adrenalina sobe e seus sentidos ficam mais aguçados, seu corpo literalmente te prepara para lutar ou correr, mas convenhamos, é só um banho.

2. Eu realmente acordava para o dia

Como já mencionei, eu sempre tomei banho de manhã com o intuito de despertar para o dia, mas não era exatamente o que acontecia. Eu sempre saia do banho pouco melhor de como tinha entrado. Se a minha disposição antes de banho já era baixa, depois não era melhor. Quando comecei a tomar banho gelado isso desapareceu. Minha vontade de enfrentar o dia aumentou 1000%, era como se eu tivesse tomado um injeção de ânimo, e de fato era exatamente o que tinha acontecido. O principal motivo disso era saber que eu tinha conseguido fazer algo que eu considerava extremamente difícil, na primeira meia-hora do meu dia.

A sensação que eu sentia após um banho gelado era a mesma de quando eu corria 5km logo de manhã.

O efeito psicológico é realmente o mesmo, você fez algo realmente difícil antes de tomar café-da-manhã. Uau, isso é alimento para a auto-estima. Você se sente mais confiante para o resto do dia, por mais que seu dia anterior tenha sido horrível e o resto do seu dia tenda a ser o mesmo, você agora tem energia para enfrentá-lo, mas principalmente, agora você tem auto-estima, confiança em si mesmo que pode derrotar qualquer obstáculo que possa aparecer na sua frente.

3. Aprendi a controlar a minha “voz interior”

Todo mundo tem aquela vozinha dentro da cabeça que parece que quer que dê tudo errado. Aquela voz que te pergunta toda manhã “Será que você vai fazer falta hoje se continuar dormindo?”. Eu tenho que admitir que inúmeras vezes essa voz pareceu ser mais um soco. Dias em que eu dizia “Eu quero escrever!” e essa voz respondia “VOCÊ NÃO VAI! VOCÊ ESTÁ COM SONO!”. Naquele segundo antes de abrir o chuveiro, era essa voz que gritava comigo. Ela ordenava que eu voltasse o seletor na temperatura quente antes de entrar. Eu não tinha argumentos para contradizer ela, ela realmente tinha mais razão, ela me conhece desde pequeno. Ela sabe todos os meus defeitos e a minhas fraquezas, eu não posso vence-la com argumentos. A única coisa que eu tinha contra era uma promessa pra mim mesmo e minha crença que entrar embaixo daquela água gelada me faria mais bem do que acreditar naquela voz.

Acontece que no fim, aquela voz não é malvada, ela não quer o pior pra você, muito pelo contrário, ela quer te proteger. A lógica dela é simplista: “Pra que trocar o certo pelo duvidoso?”. Você está bem onde está, está seguro, seu banho é quente e confortável, por que você vai querer mudar isso? Ela não entende nossas lógicas complexas. Partindo desse princípio você não precisa ignorar ela, isso na verdade vai ser pior, pois ela vai gritar ainda mais. O melhor a fazer é responde-la. Gentilmente mostre a ela que você sabe o que faz. Quando ela começava a gritar eu calmamente respondia em pensamento: “Ok, obrigado por compartilhar, mas eu vou fazer do mesmo jeito”.

Pra mim este último ponto foi o principal e o que eu acreditaria que não iria conseguir superar. Minha voz interna sempre foi mais forte que eu, de chegar ao ponto de ela nem argumentar mais. Quando eu sentia que ela ia falar eu já desistia, mas depois dessa experiência agora eu penso que ela não é tão ruim assim. Ninguém consegue se livrar dela, mas podemos conseguir nos armar contra, e entender que, por mais que ela tenha o jeito dela, ela está do nosso lado.


Se você gostou do texto clique no coraçãozinho ali no final! Leia meus outros artigos e siga minha revista eletrônica E-volua. Lá você encontra vários conselhos, dicas e ideias para melhorar sua vida