Esse final de semana ouvi da boca de uma bem sucedida profissional, na faixa dos 30 mil mensais, que não dá para ter o segundo filho porque crianças custam muito caro. What???? Foi o que pensei, mas não ousei retrucar. Eu, no meus famigerados 30 anos e já pensando em ser mãe e nenhuma profissão definida ainda, já quero e penso diariamente em engravidar. Só não mergulhei nessa aventura por um pedido de meu marido. Entendo que uma gravidez precisa sim de uma outorga uxória. Confesso que me assustei com a fala dessa moça.

Sei que em Sampa todo mundo só quer trabalhar, trabalhar e trabalhar para alcançar o sucesso profissional para continuar trabalhando. O pensamento morre ai. Filhos, família? Quando der e se der! Literalmente.

Meu bairro tem 10 vezes mais cachorros que crianças. Meu cachorrinho se inclui nessa contagem. Crianças são muito caras, ora. Por isso, os bichinhos são tão respeitados por aqui e tomam os lugares de nossos pseudo bebês.

Se alguém corajoso ousar discordar e cometer o sacrilégio de afirmar que não quer trabalhar para cuidar dos filhos ou afirmar que quer ter mais de 2 filhos, que Deus o ajude! Será unanimemente massacrado nas rodas sociais e visto com um ser mentalmente subdesenvolvido. O trabalho deve vir primeiro e a família depois, eles falam.

Não vou ousar dar lição de moral, nem convecê-lo de meu ponto de vista. Esse texto foi apenas um desabafo de uma situação que me fez ver que não quero essa vida paulistana atribulada e de sucesso profissional. Se não quero os 30 mil? Quero uma casinha, meu marido, 3 filhos, dois cachorros. Se os 30 mil mensais chegarem, não vou recusar. Mas não irei espera-los para ter o meu sonho.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.