Consumir é o nosso próprio consumo!

Se pensarmos bem…nós consumimos desde do começo da nossa vida até o seu fim.

Tudo começa antes do nascimento, estamos lá se formando no útero da nossa mãe e já consumimos o que ela tem a nos oferecer. Quando crianças consumimos muito mais coisas, queremos saber, comer, ouvir, ver, sentir, cheirar, presenciar, conhecer, vestir tudo. Nossa vida “gira em torno de consumo”. Perdão Sigmund Freud, mesmo com a sua descoberta que possuímos consciente e inconsciente, seja qual o ser humano estiver usando no momento da sua vida, o costume nato de consumo é inevitável.

Quando nos tornamos adultos, perdemos uma grande parte desse hábito de consumir, depois de consumir tanto e pouco ao mesmo tempo, nós enjoamos de algo tão importante, e passamos a consumir o que já foi consumido anteriormente, alguns ficam nesse ciclo monótono, outros não perdem o vício e seguem consumindo o que a vida e a natureza nos tem a oferecer.

Pena que quando morremos, ou seja, o fim da nossa vida acaba, paramos de consumir, e tudo aquilo que consumimos foi apenas uma pequena parte do que há se consumir no mundo, pois o consumo é apenas algo que vai te consumir um dia.

Trabalho de Filosofia e Sociologia.

E.E.Castro Alves.

Professor: josemilanez Série: 3° “U”. Turno: Vespertino.

Aluno: Emerson.F.S. Assunto: Crônica.

1° Obs.: A crônica está baseada nos temas dos vídeos que eu gravei de Filosofia e Sociologia( Psicanálise e Consumismo).

2° Obs.: O uso repetitivo das palavras “Consumo, consumismo, consumimos”, foram de propósito, para ressaltar a palavra.