Yellow Salt

— Hey, você por aqui?Fazendo algumas compras? Que legal te ver!!!

Assim passa a tarde amarela, do mercado para casa, da casa para o mercado e nem me dei conta de quão amarelo estava o dia. 
Amarelo? 
Sim, amarelo. Tal qual o sorriso que eu dei quando me deparei com conhecidos na farmácia, mercado, sorveteria... 
Todos sorridentes dizendo que era bom me ver por aí, mas quisera eu me sentir tão animado e ansioso como os bons moços(moças) que esbarravam por mim. 
Talvez eu parecesse meio mal educado, distante ou algo assim. Posso dizer com convicção que não estava nos maus dias, nem nos de ressaca. 
Então Sr.Mal Educação, qual é o motivo de tanta excentricidade? 
-Talvez tristeza, talvez pensasse em outra coisa, talvez cantarolasse algum som pouco conhecido para os transeuntes…

Uma coisa me ocorre minutos depois do (des)encontro, aquela pessoa é querida de minha parte e a reciproca é verdadeira, então porque tanta falta de vontade?

Só dou-me por conta, dias depois. Enquanto brinco com as cordas do violão ou com a “harmonika” velha e surrada, que não é por mal, que não sou de todo ruim, apenas me guardo, não demonstro sentimento ou dores.

Sou apenas mais um cara legal que passeia por aí, sem sapatos novos ou pretensões. Balbucio aqui e ali algum som que compus.

No fim das contas, se com a presença não sou tão humano, por aqui, deixo a todos os meus conhecidos e queridos amigos um grande abraço e como diz o velho ditado: “ Nos vemos por aí”.

Like what you read? Give Emerson Kremer a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.