Abstrato

Eu não sei mais escrever um poema ou algo que retrate os meus sentimentos de uma forma fidedigna, na verdade eu estou sentindo de tudo enquanto tento me achar, misturado com o tédio dos dias e a rotina. A minha vida estagnou n'este estado de falta de vontade, desde aquele dia. Tudo era planejado antes de ti. Como o despertador, banho e café. Todos os dias às 7:00 am.
 Eu não sei quem é o culpado disso e nem tento achar um. Culpa não é um estado no qual eu quero me prender agora, eu já sinto demais, s'eu extrapolar os limites do que sou capaz de suportar, não sei se teria alguém para recolher meus pedaços depois da explosão.


Eu sigo olhando para os dias como quem olha para o relógio com pressa.
Aprendi a caminhar sem que segurassem minhas mãos.
Eu corto as esquinas e olho os carros... vem e vão. O sol queimando a carne no mesmo instante que o vento sopra aliviando a dor é o que dá o conforto pra continuar andando. Abstrato assim, enxergue como quiser.