Arte no cabelo, estilo na cabeça

Inspirados nos craques do futebol, jovens apostam nos cortes estilizados com navalha

Clientes procuram o salão de Kleber para ousar nos cortes / Fotos AMANDA OLIVEIRA

Texto DENISE MORATO

Gerson Luís Gomes, 16 anos, estudante e morador do bairro Vicentina. Cristiano Ronaldo, 31 anos, nascido em Portugal e astro do futebol europeu. O que eles têm em comum? As jogadas finalizadas com maestria? Os dribles fantásticos em campo? Não. O que ambos compartilham são os cabelos estilosos com direito a desenhos e formas variadas. Seja no salão de beleza na Europa ou na barbearia do Vicentina, o corte de cabelo mais que um aparar de pontas é uma forma de arte e de expressão. “Dizem que a gente quer aparecer e talvez a gente queira mesmo. esse bagulho é diferente e eu gosto desse estilo”, afirma Gerson.

Para garantir que o visual fique igual aos dos jogadores, Gerson deixa nas mãos do cabeleireiro Kleber Rodrigues, 34 anos, o trabalho de transformar seu cabelo em arte. “Ele é um artista. A gente troca uma ideia e eu sempre tô com um cabelo diferente. Ele já fez o desenho do M4 na minha cabeça, uma letra de música do MC Davi”, salienta o rapaz, que também tem um toque diferenciado na sobrancelha. “São dois risquinhos que fazem a diferença.” Assim como Gerson, seu irmão Diego Gomes da Silva, 13 anos, também é adepto da moda dos cabelos estilizados. “Eu optei por fazer uma homenagem a minha mãe Luciana, escrevendo seu nome em minha cabeça, mas curto o estilo do Neymar, do Cristiano Ronaldo e de outros jogadores.”

Há dois anos, Rodrigues abriu seu estabelecimento na rua principal no bairro Vicentina, próximo a Avenida João Corrêa, e de lá para cá tem apostado nessa tendência para fidelizar clientes. Aliando dedicação com criação, Rodrigues percebeu que os desenhos que ele rabiscava na época do colégio poderiam se tornar rentáveis e seria sua oportunidade de mudar de vida e mostrar seu talento. “Com pouco estudo, tive que trabalhar em obras como auxiliar de servente, mas não era a vida que eu queria. Quando me incentivaram a fazer um curso de cabeleireiro, topei e percebi que poderia viver do desenho, só que em vez de ser no papel, seria na cabeça”, lembra.

Utilizando navalha, tesoura e máquina o cabeleireiro cria desde um simples raio na lateral da cabeça a desenhos mais elaborados, como a máscara do Homem-Aranha. “Esse da máscara do Homem-Aranha demorou para ser feito porque o desenho ocupou a cabeça toda, mas ficou bacana. Dependendo do desenho levo 40 minutos para finalizar o trabalho. Os cortes dos jogadores de futebol como o do Neymar e do Cristiano Ronaldo sem dúvida são os mais pedidos, mas têm aqueles que pedem para eu desenhar frases e versículos. O cliente, geralmente jovem, chega aqui e vem com uma ideia e eu a transformo em realidade.”

A dica de Rodrigues para quem tem interesse em ser um cabeleireiro diferenciado é estudar e se aprimorar sempre. “É preciso acompanhar a tendência, inventar com um toque, estilo e detalhe a mais. A concorrência existe, mas isso faz a diferença e os clientes voltam. Tem gente que chega a esperar uma hora para cortar o cabelo. Claro que nem todos querem um corte estilizado, mas poder oferecer algo novo é a possibilidade de mostrar a minha arte.”