Tristeza

Em uma das minhas visitas ao meu pai, passei por uma situação bem inusual. Um dia, eu estava andando, calmamente, com a intenção de ir comprar algo para comer, até que encontrei uma certa pessoa na rua.

Eu já tinha a visto várias vezes, mas sempre ignorava-a. Ela me cumprimentou e eu, obviamente, correspondi o cumprimento. Continuei andando, e ela pôs-se a me acompanhar durante todo o caminho até a próxima faixa de pedestre.

Parei ali, ela também. Eu estava bastante incomodado e desconfortável, já que a presença daquela pessoa trazia sentimentos ruins para mim. Sentimentos que eu não sabia explicar, mas que me estraçalhavam de uma maneira surreal. Acho que essa foi a primeira vez que eu pude vê-la daquela forma, tão clara, de todos esses ângulos.

Foi ali que eu pude perceber que ela estava do meu lado desde o inicio. Antes mesmo de eu nota-la ou de qualquer outra coisa, ela estava lá.

Finalmente descobri a face da minha tristeza.

E, por mais que ela fosse uma bela mulher, eu não aguentava mais ficar em sua presença.

Like what you read? Give Enricksen a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.