não se vá.

Eu prometo que um dia eu estarei ao seu lado. Talvez seja o seu guia naquela tempestade de copo d’água que você costuma ter depois de um dia chato de trabalho. Ser aquele que rouba o seu edredom de madrugada.

Eu posso prometer ser aquela luz no fim do túnel que você jurava ser um trem, ou a mordida mais gostosa do meu lanche. O carregador quando a minha bateria também estiver acabando. Ou a plaquinha vexaminosa no aeroporto quando você voltar de um lugar qualquer, cansado, só pra te ver sorrir, com algum presente na mão.

Eu não posso te prometer as estrelas, elas estão fora do meu alcance, mas posso fazer do seu teto um céu estrelado e deitar, mesmo longe, sob o mesmo céu de estrelas. Também não posso prometer que nunca estarás sozinho, até eu fico sozinho uma hora ou outra. Mas mesmo longe, eu prometo estar sempre perto, sempre ao seu alcance, mesmo que seja por FaceTime ou um telefone simples, meio chiado.

Prometo ser um sorriso de bom dia, mesmo mau humorado. Um abraço apertado, mesmo quando eu não quiser. Você sabe como é, às vezes eu não quero ficar perto de ninguém, me fecho em uma bolha, mas você tem passe livre. Pode entrar e sair do meu mundo particular, isso eu prometo.

Prometo ser aquele que vai brigar com você quando você estiver fazendo a coisa errada, mas que vai te apoiar em todas as tuas decisões, mesmo que eu não esteja de acordo. Prometo ser a pegada na areia que caminha bem ao lado da tua. Ou a corrida de final de semana no parque perto da sua casa. A companhia que você reclamava que não tinha para aqueles programas mais chatos.

Prometo ser o crítico de museu, o histérico na montanha-russa, a lambida do sorvete, o teu motorista quando você não quiser dirigir, ou co-piloto quando você preferir ir com o seu carro. Prometo te guiar na vida melhor do que o Waze nos guia a cada ida a um restaurante, a um cinema, a um teatro. Será que você está disposto a me guiar também?

Eu sei que existem mil coisas ainda por vir e não posso prometer que tudo vai ser sempre um sonho. Não tenho vocação para esse amor de conto de fadas, mas te prometo ser um príncipe na maioria do tempo. E prometo te amar mais do que amo chá gelado no verão.

Prometo ser o teu livro de cabeceira, a conchinha do inverno, o sexo nos lugares inusitados, o bilhete na geladeira. Mas só se você me prometer que nunca irá embora. Que nunca irá virar as costas ou encontrar outras bocas por aí. E então eu te prometo dar sempre o meu melhor e expandir os meus limites, junto com os teus. Eu não posso prometer muita coisa, mas tudo o que eu puder, eu prometo.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Carlo Enrico’s story.