Inspiração e liderança feminina

Não é novidade que nós mulheres estamos ocupando, a cada dia, mais espaço no mundo corporativo e na abertura de novos empreendimentos. Aqui no Brasil, inclusive, houve um aumento de mulheres que ocupam cargos de liderança nas organizações.

Segundo a pesquisa lançada em Março deste ano pela International Business Report (IBR) — Women in Business, da consultoria americana Grant Thornton: “Cresce o número de mulheres em cargos de CEO e diretorias executivas no Brasil, percentual de 16% em 2016. Porém, ainda 53% das empresas brasileiras não possuem mulheres em posição de liderança.”

Nesta segunda publicação do Por Conta Delas, abordaremos os principais desafios enfrentados por nós no mercado de trabalho, as principais características das empreendedoras brasileiras e algumas referências de empreendedorismo feminino, vem com a gente. ;)

Dentre os muitos obstáculos enfrentados, o principal deles pode ser apontado como a baixa autoconfiança. Porque muitas ainda se veem inseguras ao iniciarem o próprio negócio ou realizarem mais investimentos para a sua expansão, o que resulta num auto boicote ao próprio desenvolvimento. Outro obstáculo importante, além da dupla jornada entre a gestão da carreira e do lar, é a desigualdade de gênero e discriminação no ambiente de trabalho.

Apesar dessas adversidades, estamos conseguindo o nosso espaço e reconhecimento decorrente, principalmente, de algumas características marcantes e comuns nas mulheres de negócios, como, por exemplo:

  • A busca pela satisfação pessoal por meio da abertura do próprio negócio, fazendo com que elas trabalhem com o que realmente gostam. Isso dá mais motivação e energia para o desenvolvimento da empresa.
  • A procura por mais informações sobre o mercado e sua área de atuação, além do investimento em mais capacitação do que os homens. E de acordo com a pesquisa realizada em Agosto de 2016 pela Rede Mulher Empreendedora os assuntos de maior interesse são: finanças, planejamento da empresa e marketing (comunicação e vendas).
  • A preocupação com o cliente, buscando sempre a fidelização.

A empresária Cristina Junqueira, cofundadora do cartão de crédito Nubank, é um bom exemplo de superação. Ela iniciou a sua carreira no setor bancário, o qual enfrentou dificuldades para se consolidar no mercado por ser uma das poucas mulheres em uma área predominantemente masculina. Ao perceber que não era esse o ambiente que buscava seguir na carreira, pediu demissão do banco. Pouco tempo depois, conheceu os seus dois sócios e deu início à empreitada chamada de Nubank.

Nesse mesmo período, Cristina teve que conciliar a maternidade com o lançamento da nova empresa.

“No setor bancário as mulheres representam 46% da categoria e possuem os níveis de escolaridades mais altos. Entretanto, apenas 12% dos cargos de diretoria são ocupados por elas.”

Outro bom exemplo de empreendedorismo feminino é Luiza Helena Trajano, a responsável pela rede de lojas do Magazine Luiza. Foi a pioneira em vendas pela internet no Brasil e é reconhecida pelo seu modelo de gestão focado na valorização dos funcionários e acompanhamento dos clientes. Luiza Helena é uma das poucas mulheres CEO da América Latina!

Ler um pouco dessas histórias nos mostra o quanto é possível para uma mulher realizar aquilo que sonha trabalhando com paixão. É uma boa dose de inspiração para deixarmos o medo de lado, com mais autoconfiança e buscarmos o apoio da família para que não cresçamos sozinhas.