A lesbianidade é forte.

Uma pequena celebração da mulher lésbica.

Nossa sexualidade não é o fato mais interessante sobre nós. Somos muitas e somos diferentes, ainda que iguais. Somos mulheres plurais.

Cosima Niehaus, Orphan Black.

Porém, apesar de não nos definir, o lesbianismo é parte de nossa identidade. E com isso, somos duplamente julgadas socialmente: por nosso gênero e por nossa sexualidade.

E pra mim, é assim que enfrentamos - ainda que sem necessariamente querer - a heteronormatividade, o masculino e o patriarcado. E é exatamente assim que continuamos provando pra nós mesmas e para o mundo a nossa força.

E essa força não vem só do esteriótipo da mulher macho, não. Afinal, nossa força não é só a física e não está embasada na fragilidade (assim como a masculinidade que precisa se provar forte o tempo todo).

A lesbianidade é forte por ser resistência.

Por ser minorizada, esquecida e objetificada e, ainda assim, continuar lutando pelo direito de ser quem se é e de amar quem se ama.

E é por nossa força, nossa resistência, nosso sexo, nosso afeto e nosso amor que precisamos celebrar e gritar: nós existimos, porra!

Laurinha, A Partilha.