Transtorno da Personalidade Borderline: critérios diagnósticos

O Transtorno da Personalidade Borderline caracteriza-se por um padrão difuso de instabilidade das relações interpessoais, da autoimagem e dos afetos e de impulsividade acentuada que surge no início da vida adulta e está presente em vários contextos, conforme indicado por cinco (ou mais) dos seguintes:

  1. Esforços desesperados para evitar abandono real ou imaginado.
  2. Um padrão de relacionamentos interpessoais instáveis e intensos caracterizados pela alternância entre extremos de idealização e desvalorização.
  3. Perturbação da identidade: instabilidade acentuada e persistente da autoimagem ou da perceção de si mesmo.
  4. Impulsividade em, pelo menos, duas áreas potencialmente autodestrutivas (p. ex., gastos, sexo, abuso de substâncias, condução irresponsável, compulsão alimentar).
  5. Recorrência de comportamentos, gestos ou ameaças suicidas ou comportamentos de automutilação.
  6. Instabilidade afetiva devida a uma acentuada reatividade de humor (p. ex., disforia episódica, irritabilidade ou ansiedade intensa com duração geralmente de poucas horas e apenas raramente de mais de alguns dias).
  7. Sentimentos crônicos de vazio.
  8. Raiva intensa e inapropriada ou dificuldade em controlá-la (p. ex., mostras frequentes de irritação, raiva constante, lutas físicas recorrentes).
  9. Ideação paranóide transitória associada a estresse ou sintomas dissociativos intensos.

Esforços desesperados para evitar abandono real ou imaginado

Indivíduos com o transtorno da personalidade borderline tentam de tudo para evitar abandono real ou imaginado. A percepção de uma separação ou rejeição iminente ou a perda de estrutura externa podem levar a mudanças profundas na autoimagem, no afeto, na cognição e no comportamento. Tais medos de abandono têm relação com intolerância a ficar só e necessidade de ter outras pessoas ao redor. Os esforços desesperados para evitar o abandono podem incluir ações impulsivas como automutilação ou comportamentos suicidas.¹

Relacionamentos interpessoais instáveis

Os relacionamentos tendem a ser instáveis, intensos e turbulentos, sendo comum apresentarem mudanças da visão que têm dos outros, súbitas e intensas, podendo alternar entre a idealização e a desvalorização.² Pessoas acometidas por esse transtorno podem idealizar cuidadores ou companheiros potenciais em um primeiro ou segundo encontro, exigir ficar muito tempo juntos e partilhar os detalhes pessoais mais íntimos logo no início de um relacionamento. Entretanto, podem mudar rapidamente da idealização à desvalorização, sentindo que a outra pessoa não se importa o suficiente, não dá o suficiente e não está “presente” o suficiente.¹

Perturbação da identidade

Pode haver problemas de identidade, manifestando uma instável autoimagem que se revela persistente e marcada.² Há mudanças súbitas e dramáticas na autoimagem, caracterizadas por metas, valores e aspirações vocacionais inconstantes. Podem ocorrer mudanças súbitas em opiniões e planos sobre carreira profissional, identidade sexual, valores e tipos de amigos.¹

Impulsividade

Indivíduos com transtorno da personalidade borderline mostram impulsividade em pelo menos duas áreas potencialmente autodestrutivas. Podem apostar, gastar dinheiro de forma irresponsável, comer compulsivamente, abusar de substâncias, envolver-se em sexo desprotegido ou dirigir de forma imprudente.

Comportamentos suicidas e de automutilação

Apresentam recorrência de comportamento, gestos ou ameaças suicidas ou de comportamento de automutilação.¹ Esses atos autodestrutivos são geralmente precipitados por ameaças de separação ou rejeição ou por expectativas de que o indivíduo assuma maiores responsabilidades. A automutilação pode ocorrer durante experiências dissociativas e com frequência traz alívio por reafirmar a capacidade do indivíduo de sentir ou por expiar a sensação de ser uma má pessoa.

Reatividade do humor

O humor disfórico basal dos que têm esse transtorno é amiúde interrompido por períodos de raiva, pânico ou desespero e é raramente aliviado por períodos de bem-estar ou satisfação. Esses episódios podem refletir a extrema reatividade do indivíduo a estresses interpessoais.

Vazio

Indivíduos com o transtorno podem ser perturbados por sentimentos crônicos de vazioe, facilmente, encontram-se entediados, buscando constantemente algo para fazer.

Raiva inadequada

Podem demonstrar sarcasmo extremo, amargura persistente ou ter explosões verbais. A raiva é geralmente provocada quando um cuidador ou companheiro é visto como negligente, contido, despreocupado ou como alguém que abandona. Tais expressões de raiva costumam ser seguidas de vergonha e culpa, contribuindo para o sentimento de ter sido mau.¹

Ideação paranoide

Durante períodos de estresse extremo, podem ocorrer ideação paranóide (ideação envolvendo suspeitas ou a crença de que o indivíduo está sendo assediado, perseguido ou injustamente tratado) ou sintomas dissociativos transitórios (senso de realidade alterado acerca de si mesmo ou do ambiente ao redor (p. ex., ver-se a partir da perspectiva de outra pessoa, estar entorpecido, sentir-se como se estivesse em
câmera lenta)).¹

Texto original publicado no site: Temas em Psicologia

Referências

¹American Psychiatric Association. (2014). DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Artmed Editora.

²Ferreira, A. G. V. (2017). Avaliação e Diagnóstico da Perturbação da Personalidade Borderline.

Erick Pereira da Silva

Written by

Psicólogo clínico e especialista em Psicologia da Saúde. Experiência no atendimento a vítimas de violência sexual, portadores de dores crônicas e borderlines.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade