Cobra do cafezal

Mãos grossas partem ao meio dois montes de terra macia. Tocar as raízes parece não ser o suficiente para se conectar e, num espetáculo de desejo, a água corre entre folhas e despenca como tornado. O calor vem do chão enquanto o vento se faz presente como gemido.

O fruto jorra o ano inteiro.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.