Conselheiros

(Ilustra de Lucas Grecco)
  • Conselheiros minha decisão foi tomada.
  • A voz forte do homem nu ecoou pela sala escura, com os olhos preocupados fixos nas 3 silhuetas humanas à sua frente.
  • Você sabe que não cabe à você tomar tais decisões.
  • Disse, seco, a silhueta do homem do centro.
  • Qualquer escolha errada que for feita pode trazer consequências devastadoras.
  • Completou a mulher à direita com um tom preocupado.

O conselheiro na extrema esquerda se manifestou:

  • Você tem que entender que há diversos fatores envolvidos, temos consciência da sua escolha, ela está em julgamento neste instante.
  • Por que não posso participar deste julgamento?
  • Falou o homem nu, irritado.
  • Por que você está aqui conosco.
  • Respondeu a conselheira com uma singela risada.
  • Sem entender exatamente a afirmação da mulher, ele questiona:
  • - Quem está julgando minha decisão?
  • - Nós
  • Afirma o conselheiro central. E continuou:
  • - A decisão foi tomada.
  • - Sinto muito.
  • Relatou a mulher com uma voz de pesar.
  • Exijo participar do conselho para decisões que influenciem diretamente a mim.
  • Gritou o homem nu.

O conselheiro da esquerda da uma risada fraca e afirma convicto:

  • Todas influenciam à você.

O homem indaga:

  • Como assim?

Um silêncio rígido tomou conta da sala.

  • Quero uma resposta.
  • Falou o homem, aflito.
  • Aguarde.
  • Pronunciaram os três conselheiros ao mesmo tempo.
  • Vocês não podem fazer isso. Não faz sentido. É um erro.
  • Se levantou o conselheiro central.
  • Já está feito.
  • Completa a mulher. Seca.

O conselheiro central fecha seu terno e sai da sua posição, com uma postura impecável.

A mulher se levanta, senta na posição central e outra pessoa aparece e toma o antigo lugar da conselheira.

Com uma voz mais calma ela se arruma e diz:

  • Você veio em um momento conturbado, só que agora tudo está resolvido. Vou revogar a decisão anterior. Desta vez você terá liberdade para escolher.

O homem nu se levanta e agradece, sem entender o que estava acontecendo.

  • Lembre-se, na próxima vez venha a nós antes de tomar qualquer decisão. Falou o novo conselheiro.
  • Farei isso.
  • Concordou o homem Nú.

De repente o homem não está mais nu, ele está de moletom, em pé. Olhando para um irritado senhor em uma padaria no centro da cidade.

  • Amigo, vai a coxinha ou não?

O homem se assusta, e como se estivesse saído de um transe responde:

  • Desculpe, vai a coxinha mesmo.

O senhor entrega aquele salgado engordurado e o homem o agarra, virando-se de costas, indo em direção à mesa.

Após alguns segundos e apenas uma mordida, o senhor grita de dentro do balcão

  • Vai querer ketchup?

O homem arregala os olhos.

FIM