Muito caro esse preço

Que se paga pela liberdade

Por respirar e viver intensamente

Tudo

Eu prefiro morrer de felicidade

Do que definhar em tédio

Querer ir além das fronteiras invisíveis

Pode ser perigoso

Pode ser dolorido

E só sabe quem tenta

Quem enfrenta o mundo

Mesmo dominado pelo medo

Que corrói a alma profundamente

Livre, eu serei poeta

Voarei com os pássaros

Serei toda a metamorfose da borboleta

Livre, me atirarei no mar sem me preocupar se irei me afogar

Livre, eu me espetarei em espinhos e provarei de venenos

É uma consequência, é o risco

Vomitarei a maldade desses homens

Estarei acima de todos sentimentos

Apodrecidos e sem sentido ou importância

E viverei como se não estivesse aqui

Como se minha mente

Estivesse sempre distante

E sem peso,sem culpa

Libertarei a minha própria essência.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.