Fluxo sem filtro

É assustador como toda essa crise era comentada táxis, esquetes, mesa de bar, redes socias desde sempre …
Quem nunca ouviu que a Petrobras tinha bilhões de dólares desviados?
Que as empreiteiras apoiavam candidatos em troca de benefícios?
Que caixa dois era regra?
Que a Friboi tinha laços praticamente matrimoniais com o governo? Inclusive, chamavam do Lula de dono da empresa…
Que o que consumimos com orgulho é adulterado e que nos matará a médio prazo?
Fomos expostos de forma tão descarada a fatos aterradores que nos acostumamos, tratamos como lenda urbana;
Deixamos roubar merenda, matando de fome e tirando muitas vezes o único incentivo da criança ir para a escola.
Deixamos pessoas letradas traficar, em seus helicópteros e aviões, para que no final, o preto de arma na mão seja o retrato da violência.
O traficante da favela pode até ter arma, mas não tem helicóptero.
Eu estou tão indignado que eu tenho medo de procurar respostas, porque as respostas que consigo imaginar são da mais pura violência, uma desqualificação de humanidade para a classe política e doente deste país.
Penso na guilhotina, na forca, na justiça irracional e catártica em praça pública, na humilhação e tortura sem limites.
Eu penso na morte dolorosa, cada vez que vejo um idiota mentir no microfone.
Eu me sinto transbordar, morrer um pouquinho, desumanizar, implodir, explodir.
Ainda bem que, ao escrever, a respiração volta, a razão domina, o fio vermelho é cortado.
Mas porra, tá foda.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.